Ativistas se opõem a governo Trump cortar proteções de espécies ameaçadas


Uma carta com mais de 160 assinaturas de grupos de conservação de biodiversidade está exigindo que o secretário do Interior nos Estados Unidos, Ryan Zinke, retire a proposta de seu departamento de revogar proteções para a vida selvagem de espécies ameaçadas, já protegidas sob a Lei de Espécies Ameaçadas.

O Centro de Diversidade Biológica, o Conselho de Defesa dos Recursos Naturais dos EUA, Defensores da Vida Selvagem, a instituição Earthjustice e Sociedade Humanizada dos Estados Unidos estavam entre os grupos de defesa animal que assinaram a carta que foi enviada ao secretário.

"O esforço do governo Trump para sabotar o Ato de Espécies Ameaçadas é um ato desprezível de vandalismo ambiental", conforme afirma especialista do Centro de Diversidade Biológica dos EUA (Foto: Pixabay)
“O esforço do governo Trump para sabotar o Ato de Espécies Ameaçadas é um ato desprezível de vandalismo ambiental”, conforme afirma especialista do Centro de Diversidade Biológica dos EUA (Foto: Pixabay)

Stephanie Kurose, especialista em políticas de espécies ameaçadas do Centro de Diversidade Biológica, alegou em um comunicado: “Com esta proposta terrível, a administração do governo Trump está declarando guerra à vida selvagem ameaçada da América“, alarmando que espécies sob ameaça de extinção precisam urgentemente de proteção. “Trump está apagando nossa herança natural e isso é uma desgraça”.

Desde 1978, o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA tem proporcionado proativamente a proteção total da Lei de Espécies em Perigo a todas as espécies ameaçadas, a menos que a agência emita uma regra especial caso a caso, e a nova proposta do Departamento do Interior de rescindir a”regra geral” reverteria esse processo.

Grupos de defesa animal que assinaram uma carta que foi enviada ao secretário do Interior nos Estados Unidos, exigindo que mantenham a proteção a espécies ameaçadas (Foto: Pixabay)
Grupos de defesa animal que assinaram uma carta que foi enviada ao secretário do Interior nos Estados Unidos, exigindo que mantenham a proteção a espécies ameaçadas (Foto: Pixabay)

Se essa decisão for tomada, a vida selvagem ameaçada não receberá proteção, o que é preocupante. “Estamos profundamente preocupados que a rescisão da regra geral diminua ainda mais o processo de listagem da Lei de Espécies Ameaçadas, convide a interferência política, forneça menos proteção às espécies ameaçadas e proteja as decisões do governo da opinião pública e do escrutínio”, afirmou o comunicado do Conselho de Defesa dos Recursos Naturais.

“O esforço do governo Trump para sabotar o Ato de Espécies Ameaçadas é um ato desprezível de vandalismo ambiental”, disse Kurose. “Os americanos verão a vida selvagem cuidada à beira de uma política míope e anti-científica destinada a beneficiar os poluidores corporativos”, complementou o Conselho, contra a revogação dos direitos de proteção das espécies de animais sob ameaça.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRIME AMBIENTAL

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE

RESILIÊNCIA

BRECHAS LEGAIS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>