Atriz Meghan Markle se recusa a promover o uso de peles em roupas


A futura princesa Meghan Markle reconhece os absurdos da indústria de peles e, de acordo com informações de amiga próxima da atriz e noiva do príncipe Harry, Meghan se recusa a ter peças no seu guarda roupa que promovam a cruel indústria de peles.

A futura princesa Meghan Markle (Foto: Instagram)
A atriz e futura princesa Meghan Markle (Foto: Instagram)

Antes mesmo de seu noivado com o príncipe Harry, Markle já tinha uma reputação de ativista, defendendo a igualdade de gênero como defensora das mulheres.

Já em recentes declarações, a atriz declarou manter-se em dieta restrita de origem vegetal durante os dias da semana. Agora, uma amiga próxima da futura noiva citou vários exemplos que provam que Meghan é contra a utilização de peles como roupas.

Gina Nelthorpe-Cowne é grande amiga de Markle, pois já trabalhou como sua agente comercial. Recentemente, Gina revelou ao The Independent que Meghan adota uma rígida restrição ao uso de peças com pele de animais em seu guarda-roupa.

Assumindo uma postura ética contra estabelecimentos que apoiam padrões cruéis de bem-estar animal, de acordo com Gina, Markle “se recusa a promover peles ou produtos de origem animal, optando por usar peles artificiais”.

Ainda, Meghan Markle já revelou, em entrevista à Good Housekeeping, em que discutiu seu estilo e moda, que é uma ávida fã de calças de couro veganas.

Atitudes filantrópicas

Em preparação para o casamento real que está chegando, o casal Meghan Markle e príncipe Harry pediu que os presentes fossem apoio à caridades.

O futuro casamento real priorizou doações a caridades do que presentes em sua comemoração. (Foto: GettyImages)
O futuro casamento real priorizou doações a caridades do que presentes em sua comemoração. (Foto: GettyImages)

Assim, o par selecionou sete instituições de caridade que melhor refletem seus valores. Duas destas são focadas em causas ambientais e de conservação, que são: Surfers Against Sewage, que trabalha para salvar a vida marinha removendo plástico do oceano, e The Wilderness Foundation UK, que educa as pessoas sobre a importância da conservação.

Causa ganhando espaço

A luta contra a utilização de peles está tomando espaço ultimamente. Donatella, que é a designer-chefe da Versace, anunciou que a marca está abandonando a pele. As grifes DKNY e Donna Karan logo seguiram o exemplo.

Cidades e países também estão entrando na onda livre de crueldade animal: San Francisco tornou-se recentemente a maior cidade até hoje decidindo a proibição de peles, e este mês, a Índia proibiu a importação e venda de peles.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AÇÃO SOCIAL

PRECAUÇÃO

ÍNDIA

ESTUDO

ÓRFÃO

ARTIGO

DESACATO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>