Cientistas podem ter descoberto como salvar coalas da clamídia


O marsupial da Austrália está com um problema que continua a crescer: a clamídia, uma doença sexualmente transmissível também encontrada em humanos, atinge os coalas selvagens. Em algumas populações de coalas, a taxa de infecção pode chegar a 100%.

Coalas podem ser salvos da clamídia por tratamento correto com antibiótico. (Foto: Currumbin Wildlife Hospital)
Coalas podem ser salvos da clamídia por tratamento correto com antibiótico. (Foto: Currumbin Wildlife Hospital)

A doença bacteriana nos coalas não chega a ser fatal, mas pode afetar de forma severa a saúde desses animais, e as altas taxas de infecção são preocupantes. Afinal, a União Internacional para Conservação da Natureza já considera o mamífero vulnerável à extinção, principalmente devido à perda de seu habitat para o desenvolvimento urbano.

De acordo com informação do Daily Mail, uma vacina para proteger coalas contra a doença foi desenvolvida pela Universidade de Tecnologia de Queensland e, há mais de duas décadas, cientistas têm especializado o antibiótico contra a clamídia. Porém, há uma desvantagem para o tratamento com antibiótico.

Quando infectados, coalas jovens, ainda na bolsa da mãe, não conseguiriam comer a “matéria fecal” nutritiva da mãe, alimento dos coalas após a amamentação e antes que comecem a comer folhas de eucalipto. Essa matéria fecal é essencial para que os micróbios do intestino do coala sejam capazes de digerir taninos tóxicos no eucalipto, a principal fonte de alimento da espécie.

Ainda, Katherine Dahlhausen, aluna de doutorado da Universidade da Califórnia, explicou, em entrevista à National Geographic, que “os antibióticos podem estar alterando os micróbios intestinais que permitem que os coalas comam eucalipto”.

Dahlhausen, então, conduziu um estudo investigando os microbiomas desses mamíferos durante o tratamento com antibióticos. Foi descoberta a presença de uma bactéria relacionada a um conhecido degradador de taninos, que são substâncias naturais que podem ser encontradas em inúmeras plantas.

Tratamentos alternativos, além dos antibióticos, que restauram boas bactérias no organismo dos coalas também são possibilidades. (Foto: Getty Images/Visuals Unlimited)
Tratamentos alternativos, além dos antibióticos, que restauram boas bactérias no organismo dos coalas também são possibilidades. (Foto: Getty Images/Visuals Unlimited)

A descoberta pode determinar se um coala sobreviveria ao tratamento com antibiótico ou não, pois agora é possível descobrir, antes de se iniciar o tratamento, se há como manter o micróbio protetor vivo no coala durante o curso de antibióticos.

Tratamentos alternativos que restauram boas bactérias no organismo dos coalas também são possibilidades. A introdução de probióticos nos coalas pode ser útil, já que são importantes para a saúde do animal infectado com clamídia.

Também é destaque o perigo do manuseio com animais selvagens. “Sempre que você lida com animais selvagens, o estresse diminui a função imunológica deles”, diz Dalen Agnew, professor associado do Departamento de Patobiologia e Investigação Diagnóstica da Michigan State University, em entrevista para o National Geographic.

Além dos problemas do tratamento, os marsupiais australianos precisam se adaptar cada vez mais com um ambiente natural pouco confiável, já que seus habitats tem sido destruídos, tornando mais difícil a busca por alimentos e o encontro de parceiros que sejam saudáveis e geneticamente diferentes.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÍNDIA

RESGATE

ASFIXIA

NECROPSIA

SAUDADE

MAUS-TRATOS

FAMINTOS

SAÚDE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>