Cerca de 1,4 mil tubarões são vistos juntos na Costa Leste dos EUA


Fotografias aéreas captaram registros do que, até então, é conhecido como o maior encontro de tubarões-frade já relatado.

Cerca de 1,4 mil tubarões-frade foram vistos em um enigmático encontro na Costa Leste dos EUA. Os tubarões-frade-comedores de plâncton são o segundo maior peixe do mundo – superado apenas pelo tubarão-baleia – e têm hábitos solitários. O tubarão-frade pode atingir até 9 metros de comprimento e pesar até cinco toneladas.

Cientistas suspeitam que a reunião não tenha relação com o acasalamento. Ainda não se sabe a razão do encontro desses animais, mas os cientistas vêem isso como um sinal positivo para a espécie.

De acordo com pesquisa publicada este mês no Journal of Fish Biology, os animais no encontro eram todos adultos ou jovens, e a reunião aconteceu em 2013, nas águas do sul da Nova Inglaterra (EUA).

Pesquisas especulam que os tubarões podem ter estado em um frenesi de alimentação com o florescimento do plâncton na área, antes de partir para a migração anual do outono para o sul. Uma pesquisa da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica conduzida logo após o encontro de 2013 encontrou altas concentrações de zooplâncton, adicionando apoio a essa teoria.

Até o estudo, os tubarões-frade eram conhecidos por se reunirem ocasionalmente, já que são uma espécie considerada solitária. Haviam reuniões de apenas centenas de animais, no máximo, conforme dizem os especialistas.

Informações do Huffpost contam que os cientistas descobriram a reunião incomum ao estudarem mais de três décadas de fotos aéreas que foram coletadas em estudos que buscam as baleias-francas do Atlântico Norte. Dez agregações significativas de tubarões-frade foram identificadas ao largo da costa da Nova Escócia e Nova Inglaterra entre um intervalo de quase 30 anos, e o maior encontro já relatado reuniu cerca de 1,4 mil tubarões.

Durante o século 20, os tubarões-frade, que se moviam lentamente, eram intensamente caçados, até que sua população diminuísse drasticamente. Porém, atualmente, eles estão protegidos nos EUA e no Reino Unido.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PUNIÇÃO

MAUS-TRATOS

SEGUNDA CHANCE

CENSURA

DESPERTAR

PROTEÇÃO

HOLOCAUSTO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>