Mais de 10 mil médicos protestam contra publicidade que incentiva o consumo de carne


Uma organização formada por 12 mil médicos entrou com um processo contra o Texas Beef Council (EUA) depois que o conselho pediu a profissionais médicos que recomendem carne bovina a pacientes com doenças cardíacas. O Comitê de Médicos para a Medicina Responsável (PCRM) disse que essas propagandas são ilegais e negligentes com a saúde pública, informou o Express News.

Foto: Livekindly

O Texas Beef Council tem promovido o consumo de carne nos consultórios médicos em todo o Texas e na internet. A nutricionista Susan Levin disse que as promoções foram “um novo recorde”. Neal Barnard, que fundou o PCRM, disse no Twitter que a organização entrou com um processo contra o Texas Beef Council. O processo foi levado ao escritório do Procurador Geral do Texas.

Segundo o Express News, o PCRM declarou que o “conselho financiado pelo estado e pela indústria infringe a Lei de Defesa do Consumidor do Texas sobre Práticas Comerciais Deceptivas ao promover pesquisas financiadas pela indústria de carne bovina em detrimento da saúde dos pacientes”.

Membro do PCRM e cardiologista John Pippin afirmou que o Texas Beef Council está usando “ciência falsa” para fazer suas afirmações. Pippin declarou: “O que o Texas Beef Council está dizendo aos cidadãos do Texas é: ‘Apoie a indústria da carne, coma carne bovina. Você morrerá mais jovem, você terá ataques cardíacos, terá um derrame. Você terá uma insuficiência cardíaca, mas ficaremos ricos”.

O médico e presidente da Associação de Criadores de Gado do Texas e do Sudoeste, Richard Thorpe, disse que os produtos de carne bovina eram “alimentos saudáveis”.

Porém, diversas pesquisas comprovam o contrário. Um estudo de janeiro relacionou o consumo de carne vermelha a diversas formas de câncer e informou que o consumo de carnes processadas e vermelhas pode aumentar o risco de câncer de cólon em 37% e câncer retal em 70%.

Segundo o Express News, a doença cardíaca é a principal causa de morte no Texas e mata quase 45 mil texanos anualmente. Ela é também a principal causa de morte na América  e em todo o mundo.

Especialistas indicaram que as gerações mais jovens estão se aproximando de uma epidemia de doenças cardíacas, motivada principalmente pelo consumo de carne. Estudos revelaram que a substituição de porções de proteína animal por proteína vegetal pode diminuir o colesterol e, em última análise, o risco de doenças cardíacas. Outros dados mostraram que o veganismo pode diminuir o risco de doenças cardíacas em até 42%.

O Texas é o maior estado produtor de carne bovina dos Estados Unidos. De acordo com o Express News, o consumo de carne continua aumentando porque existe a crença de que é benéfico e que carboidratos são ruins para a saúde e para a manutenção do peso, revela o Livekindly.

Pippin disse: “Eu não me importo com o quão magro você quer ficar não me importo se você cortar toda a gordura ou o que você faz, é a gordura saturada, o colesterol, o ferro heme – que afeta a oxidação no sangue – são todas essas coisas em vacas mortas que vão te matar e eu já vi isso em mais de 20 anos da minha prática”.

Cada vez mais pessoas se preocupam com a saúde. Esse foi o fator principal pelo qual 39% das pessoas se inscreveram para o Veganuary deste ano. O aumento do veganismo foi denominado como uma interrupção dos mercados de carne e laticínios.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MÉXICO

CRUELDADE

AMOR

EMPATIA

AMOR

CRUELDADE

CHINA

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>