Porto Franco (MA) é denunciada por recolhimento de animais abandonados


Após a Prefeitura de Porto Franco, no Maranhão, divulgar um panfleto por meio do qual afirmava que “os animais encontrados soltos pela cidade serão recolhidos e encaminhados para o Matadouro Municipal”, a entidade de proteção animal Amada São Luís fez uma publicação em rede social afirmando que o Maranhão havia anunciado uma matança de animais abandonados.

Panfleto controverso gerou repúdio (Foto: Divulgação)

“Vamos impedir que mais um caso monstruoso de assassinato com crueldade aconteça em nosso país! Pela falta de projetos responsáveis, como castração gratuita e responsável da prefeitura de Porto Franco, o prefeito quer imitar a monstruosidade que aconteceu em Igaracy – Paraíba. As prefeituras incompetentes que não fazem programa para famílias de baixa renda para castrarem seus animais, agora querem matar os animais de forma cruel. Esses “Prefeitos“ alegam não terem recursos, mas não saem dos noticiários de corrupção e incompetência da gestão do dinheiro público. Bem, não podemos deixar que tratem a nossa sociedade de forma inaceitável em pleno século XXI”, escreveu a ONG, que lembrou que matar animais é crime. No Maranhão, a lei Nº 10169 de 2014 proíbe o extermínio de animais.

A Comissão de Defesa e Proteção dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Maranhão também se posicionou sobre o caso. “Estamos estarrecidos com a notícia”, afirmou a comissão, que se comprometeu em enviar um ofício à Prefeitura cobrando explicações e a entrar em contato com a Ministério Público local. “Faremos o possível e impossível para acabar com tal prática. Lutaremos pelos direitos dos animais, bem como queremos punição para os autores dessa prática arcaica, ignorante e brutal, que violam direitos existentes”, declarou a comissão.

A Prefeitura, por sua vez, nega ter planejado matar os animais abandonados. A secretária de Saúde, Soraya Fonseca, afirma que a administração municipal decidiu “acolher esses animais e não levá-los para o matadouro para sacrificá-los”. De acordo com ela, o matadouro foi, de fato, escolhido para encaminhar os animais abandonados por ser, segundo Soraya, o local “mais apropriado neste momento” devido à ausência de um centro de zoonoses na cidade. Os animais, entretanto, não serão mortos, de acordo com a secretária.

“Lá a gente vai ter um veterinário, vai ter uma pessoa para cuidar desses animais e para que esses animais não fiquem durante muito tempo lá, a nossa ideia é fazer uma campanha de doação. Peço a população de Porto Franco que se solidarize com a gente e participe desta campanha de doação, adote um cão, adote um gato, para que a gente chegue ao nosso objetivo”, concluiu Soraya.

Nota da Redação: após a divulgação de um panfleto controverso – que induz a população a acreditar que animais abandonados serão mortos como forma de controle populacional -, é preciso que a Prefeitura de Porto Franco seja submetida à rigorosa fiscalização a fim de constatar se o município irá cumprir a promessa de não tirar a vida dos animais e irá oferecer a eles todos os cuidados necessários, o que inclui alimentação de qualidade, abrigo com espaço adequado, vacinação e castração.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

GRATIDÃO

INDEFESAS

VIDA NOVA

AMOR

VIDA NOVA

RIO DE JANEIRO

ALTERNATIVA VEGANA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>