Mais de 10 mil médicos se unem para condenar EUA por incentivar consumo de queijo


A organização, que possui 12 mil membros, falou especificamente sobre a parceria do governo com a Pizza Hut. A colaboração resultará na adição de 25% de queijo a pizzas em seis mil locais em toda a América e, de acordo com o comitê, ameaçará a saúde do público.

Foto: Livekindly

O comitê acredita que a decisão é um esforço para aumentar os lucros das fazendas de laticínios porque as alterações farão com que 150 milhões de libras esterlinas adicionais sejam utilizadas para a produção de queijo.

Em um vídeo recente, Neal Barnard M.D. do PCRM discutiu a medida. Ele ressaltou um evento que ocorreu em 2000, intitulado ‘The Cheese Forum’. O evento questionou: “Como podemos fazer com que os americanos comam mais queijo?”, expondo que alguns consumidores podem ser incentivados dobrar ou triplicar sua ingestão atual de queijo.

Consequentemente, o governo dos Estados Unidos se associou a múltiplas redes de fast food para aumentar o consumo de queijo. Barnard informou que o governo se uniu a diversos estabelecimentos, incluindo o Wendy’s e o Subway. É possível que a parceria com a Pizza Hut tenha “uma libra inteira de queijo em uma porção de pizza”.

O vídeo questiona: “Por que o governo está tentando fazer com que consumamos mais queijo ao mesmo tempo em que urge que limitemos gorduras saturadas, sódio e colesterol?”.

A ingestão de laticínios é cada vez mais associada a problemas de saúde. Estudos descobriram que o contato com produtos lácteos em uma idade jovem está relacionado com a diabetes tipo 1. Além disso, diferentes tipos de câncer são mais comuns naqueles em quem consome laticínios, segundo o Livekindly. Os laticínios também são associados à osteoporose e à doença de Parkinson, assim como a “alergias, asma, enxaquecas, artrite, psoríase, tendinite, acne, problemas de digestão e muito mais”, além de serem a principal fonte de gordura saturada e sódio da dieta norte-americana.

O PCRM descreveu as parcerias, principalmente a colaboração com a Pizza Hut, como uma “estratégia para fortalecer a indústria de laticínios em declínio”. Barnard revelou no vídeo que “uma decisão corporativa”, como alterações nos menus Pizza Hut, “envia tentáculos para todas as comunidades na América”.

“A ingestão de queijo foi para o telhado e ainda está subindo “, explicou Barnard. Em 1909, o americano médio consumia quatro quilos de queijo anualmente. Já hoje esse número é de 35 quilos de queijo a cada ano.

Porém, foi apontado que a crescente popularidade do veganismo pode barrar o consumo de queijos, independentemente do envolvimento do governo. O veganismo foi denominado de “restrição ao mercado” pela indústria do queijo. Pesquisas recentes apontam que quase 30% das pessoas no Reino Unido querem parar de consumir queijo e leite de origem animal em 2018. Além disso, os especialistas preveem que a indústria de laticínios pode desaparecer completamente em apenas 10 anos. Enquanto isso, o mercado de queijos veganos atinge US$ 4 bilhões.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TRAGÉDIA

COVARDIA

CATIVO EM ZOO

CRIME AMBIENTAL

RESPONSABILIZAÇÃO

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

ESCRAVIDÃO

EXEMPLO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>