O mercado de alimentos veganos embalados da Austrália atualmente vale aproximadamente US$ 136 milhões, um montante que deverá subir para US$ 215 milhões antes de 2020 e fazer com que o setor de alimentos vegano tenha o terceiro crescimento mais rápido do mundo.

Foto: The Sydney Morning Herald

O mercado de rotulagem de alimentos veganos do país está atrás apenas  dos EUA (US$ 1,75 bilhão), da Alemanha (US$ 614 milhões e da Grã-Bretanha (US$ 507 milhões).

Ewa Hudson, chefe de saúde e bem-estar da Euromonitor International, declarou: “[Um] número crescente de empresas está aumento seu interesse pelo consumidor, afastando-se de ingredientes animais sempre que possível”.

Ela diz que a crescente demanda por alimentos veganos e vegetarianos, especialmente as proteínas sem origem animal, mostra para onde o mercado está indo.

As indústrias da carne e de laticínios já apontaram o rápido crescimento do veganismo como uma “ameaça” às suas atividades. As alternativas veganas aos laticínios são o maior setor de rotulagem de alimentos veganos da Austrália e valem US$ 83,7 milhões. Salsichas, molhos e condimentos são estimados em US $ 26,3 milhões, biscoitos e petiscos valem US$ 12,5 milhões, e confeitaria US$ 6,9 milhões. Além disso, o mercado de cereais para o café da manhã é avaliado em US$ 5,4 milhões e os patês são avaliados em US$ 1,1 milhão, revela o Livekindly.

Nos últimos anos, o leite vegetal teve o maior crescimento de todos esses produtos e muitos consumidores passaram a consumi-lo após abandonar o leite de origem animal. Um em cada seis australianos está abandonado os laticínios, incluindo as pessoas que não possuem alergia ou intolerância, segundo um estudo recente do CSIRO e da University of Adelaide.

A Dietary Guidelines in Australia diz que “dietas vegetarianas apropriadamente planejadas, incluindo dietas vegetarianas ou veganas, são saudáveis e nutricionalmente adequadas”.