CONTEÚDO ANDA

Após denúncias de extermínio de cães, Rússia constrói abrigos para animais abandonados

Ativistas denunciam que animais estavam sendo mortos cruelmente nas ruas do país.

10.873

02/02/2018 às 19:30
Por Tatiana Maria, ANDA

Meme do Logo da Copa do Mundo de 2018 produzido por internautas

Cidades que sediarão a Copa 2018, na Rússia, construirão abrigos temporários para 2 milhões de animais em situação de rua. O governo imitiu a ordem depois de ativistas denunciarem o extermínio em massa de cães.

Para o governo russo, os animais são considerados um “risco” para os turistas que visitarão as 11 cidades-sede da Copa. E para “resolver” a situação, assassinou cruelmente centenas de animais.

A prefeitura de Volgogrado, antiga Stalingrado, por exemplo, contrariou a regulamentação regional e capturou e matou cruelmente vários cães. Segundo Angela Makarova, diretora do Fundo Dino para a Defesa dos Animais da cidade, a administração pública do município está preocupada apenas com o lucro do evento esportivo.

“Atiram nos animais com escopetas de ar comprimido, carregadas com um veneno barato que provoca terrível sofrimento antes da morte. Os cães demoram meia hora para morrer, sentindo dolorosas convulsões e asfixia”, conta Makaro sobre o assassinato dos cães.

De acordo com os voluntários que denunciaram o massacre, não há abrigos suficientes para os cachorros em todo o país, e muitos prefeitos, como de Volgogrado, prefere investir em extermínio, do que em proteção dos animais.

A presidente da Aliança de Defensores dos Animais, Turi Korestskij, que está elaborando um relatório sobre o extermínio em massa de animais nas cidades-sede, relata que há provas de diversos municípios russos que adotaram esta prática como “limpeza urbanística”.