Ativistas expõem chacina de cervos para abastecer frigoríficos


Foto: Deer

O franco-tirador Co Wicklow (68) foi contratado pelo governo Irlandês para assassinar centenas de cervos no Phoenix Park, em Dublin.  Nos últimos dois anos ele já matou mais de 200 animais.

De acordo com National Animal Rights Association (NARA) – organização formada em 2007 por voluntários, veganos e ativistas de direitos animais, cervos sem vida eram vendidos para um açougue por cerca de 20 mil euros.

O esquema assassino foi denunciado pelo jornal Dublin Live. Em reposta, o Escritório de Obras Públicas do município justificou que as mortes foram realizadas para evitar a superpopulação de cervos no parque.

Divulgação

Segundo Laura Broxson, porta-voz do NARA, não há dados que confirmem esta justificativa do governo e sim provas de que eles estão sendo comercializados. “Eles conseguem dinheiro por cada animal que vendem”, confirma.

Para Laura, esta medida é intolerável pois existem outras formas de controle populacional de animais silvestres além da morte.

“Eles poderiam neutralizar os cervos se desejassem e até usar medicamentos e esterilização”, explica.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

EMPATIA

AMOR

CRUELDADE

CHINA

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO

COMPAIXÃO

VIOLÊNCIA

PESQUISA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>