Mudanças climáticas ameaçam quase metade das áreas militares dos EUA


A seca, o vento e as inundações estão no topo  da lista de desastres naturais que põem em risco 1700 áreas militares em todo o mundo, desde grandes bases até postos avançados, disse o Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD).

Foto: Church Militant

“As mudanças no clima podem potencialmente mudar a forma o ambiente em que operamos e as missões que devemos realizar”, disse o órgão em um relatório que acompanha a pesquisa.

As descobertas colocam as forças armadas em posição contrária à  do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que repetidamente questionou as evidências científicas sobre as mudanças climáticas, inclusive recentemente durante uma entrevista na televisão britânica.

Trump também retirou os Estados Unidos do Acordo Climático de Paris de 2015 para combater as mudanças climáticas. O estudo do Pentágono investigou os efeitos de “um clima em mudança” em todas as instalações militares dos EUA no mundo, sendo que mais de 3500 estão registradas.

Os ativos mais frequentemente prejudicados incluem aeródromos, infraestrutura de energia e sistemas aquáticos, segundo os militares de cada local que responderam ao questionário DoD, segundo a Reuters.

John Conger, analista político do Centro de Clima e Segurança que divulgou o documento), em Washington, informou que o pedido do relatório pelo Congresso mostra um interesse crescente pelos legisladores em relação aos riscos que as mudanças climáticas representam para a segurança nacional.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROTEÇÃO ANIMAL

CRUELDADE

GRATIDÃO

ESPECIAL

ALEGRIA

VÍTIMAS DA CAÇA

MAUS-TRATOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>