Calor intenso provoca a morte de centenas de morcegos na Austrália


Facebook/Help Save the Wildlife and Bushlands in Campbelltown

Após noticiarmos casos muito tristes de animais que morreram em decorrência de hipotermia durante a onda de frio que assola os EUA, nos deparamos com mais um caso onde o desequilíbrio ambiental fez mais vítimas.

Uma onda de calor com temperaturas de até 47,3 °C causou a morte de centenas de morcegos da espécie raposa voadora por hipertermia. Uma equipe do serviço de proteção animal de Sidney resgatou 120 filhotes para mantê-los protegidos das altas temperaturas.

Facebook/Help Save the Wildlife and Bushlands in Campbelltown

Os bebês morcegos, que são mais frágeis que os adultos, estão recebendo um tratamento de resfriamento e logo serão devolvidos às suas mães.

O fenômeno atípico também afetou outros animais. Uma força tarefa está se mobilizando para refrescar animais silvestres e sarar queimaduras solares.

Recentemente um gambá foi resgatado após se queimar gravemente após tentar atravessar uma rodovia cujo asfalto estava muito quente. Pássaros também estão sofrendo com a desidratação.

Facebook/Help Save the Wildlife and Bushlands in Campbelltown

Outro caso

Este fim de semana um cachorrinho foi deixado dentro de um carro fechado nos arredores de um shopping na cidade de Sidney. A polícia foi chamada e quebrou as janelas do veículo para libertar o animal que estava sob uma temperatura de aproximadamente 60 °C.

Divulgação

A tutora do cão foi identificada e responderá por maus-tratos.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE

RESILIÊNCIA

BRECHAS LEGAIS

DENÚNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>