Morte de 80 botos cinza em 17 dias intriga pesquisadores no RJ


Em 17 dias foram encontrados 78 botos cinza mortos na Baía de Sepetiba, no Rio de Janeiro. A morte em massa da espécie intriga pesquisadores do Instituto Boto Cinza, que têm retirado do mar de quatro a cinco corpos por dia.

Instituto tem encontrado de quatro a cinco botos mortos por dia (Foto: Instituto Boto Cinza)

No local, está concentrada a maior população de botos cinza do planeta, que está sob ameaça. A Baía de Guanabara, localizada também no Rio de Janeiro, é outro habitat dos botos, que eram mais de 400 na década de 80 e, por isso, foram representados no desenho da bandeira do estado.

O número de botos que vivem na Baía de Sepetiba, segundo biólogos, é de aproximadamente 800 animais. Ou seja, em pouco mais de duas semanas, 10% da população morreu.

Exames laboratoriais, que devem ter os resultados liberados até o fim do mês, estão sendo realizados para descobrir o motivo das mortes. Segundo pesquisadores da ONG SOS Botos, a causa não é a pesca.

O instituto tem observado lesões de pele nos botos mortos, que também são encontrados muito magros. Além disso, os pesquisadores notaram uma mudança no padrão de mortalidade. Antes morriam mais machos e adultos, hoje são fêmeas e filhotes. As informações são da RJTV.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

FINAL FELIZ

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE

AGRESSÃO BRUTAL

INDÚSTRIA CRUEL

ECONOMIA

AMEAÇA DE EXTINÇÃO

ACIDENTE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>