CONTEÚDO ANDA

Conversar com animais é sinal de inteligência social, diz estudo

O ato de falar com um cão ou gato, por exemplo, é um produto natural da inteligência humana, segundo o professor Nicholas Epley.

353

11/12/2017 às 22:00
Por Redação

Humanos que conversam com animais demonstram ser inteligentes socialmente, segundo um estudo feito pelo professor de Ciências Comportamentais da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, Nicholas Epley.

Humanos que conversam com animais têm inteligência social, segundo estudo (Foto: Divulgação)

Falar, por exemplo, com um cachorro é uma forma, de acordo com o professor, de tentarmos fazer o cão parecer conosco. Ao jornal Daily Mail, Epley afirmou que o ato de conversar com animais costuma ser visto como “sinal de infantilidade ou estupidez” mas, segundo ele, é um produto natural da inteligência humana. Isso acontece porque o cérebro dos seres humanos é projetado para ver e perceber mentes, inclusive de animais.

O estudo concluiu ainda que as pessoas tendem a conversar menos com animais conforme vão envelhecendo, por vergonha ou receio de julgamento.

E assim como fazer carinho em animais é benéfico para humanos e animais – especialmente pela produção de ocitocina, conhecido como o hormônio do amor -, conversar com eles também faz bem. A melhor forma de manter tal comunicação é através da linguagem corporal e da psicologia animal.

Conversar e acariciar animais traz uma sensação de bem-estar mútua. Um laço de afeto é criado e humanos e animais se sentem bem. A sensação boa vivida pelos dois garante, inclusive, melhores condições de saúde a ambos, já que carinho e atenção são questões essenciais para a saúde mental que, por sua vez, reflete na saúde física.