Exploração em campanhas publicitárias ameaça sobrevivência de cães com braquicefalia


Cães com rostos planos ou focinhos curtos, conhecidos como braquicéfalos, como buldogues franceses e pugs, tornaram-se populares nos últimos anos, mostram registros oficiais das raças do Kennel Club.

Foto: Getty Images

O número de cães provavelmente é muito maior devido aos animais não registrados e aqueles que foram transportados ilegalmente da Europa Oriental ao Reino Unido, ressaltam os ativistas.

Usá-los em anúncios publicitários está aumentando a procura pelos animais, de acordo com o Brachycephalic Working Group, a RSPCA, a British Veterinary Association, o Kennel Club, a PDSA, a Dogs Trust a a University of Cambridge

A reprodução dos cães com essa aparência causa sérios problemas de saúde  em uma proporção substancial dos animais, incluindo dificuldades respiratórias, infecções de pele constantes, doenças oculares, incapacidade de dar à luz naturalmente e problemas espinhais ou nervosos.

Em uma carta aberta, o Brachycephalic Working Group pediu às empresas que deixem de usar pugs e buldogues em campanhas, incluindo animais de desenho animado e gerados por computador, para diminuir sua popularidade e reduzir a reprodução cruel dos cães.

Dan O’Neill, presidente do Brachycephalic Working Group, declarou: “Existe uma preocupação real de que o uso de buldogues, buldogues franceses, e pugs em anúncios esteja alimentando a popularidade dessas raças e ampliando o mercado para aqueles que simplesmente querem lucrar com esses cães com pouca ou nenhuma consideração por sua saúde e bem-estar”.

“Essas raças podem sofrer algumas condições de saúde terríveis em longo prazo. Diminuir e, em última instância, eliminar esses problemas de saúde é um objetivo compartilhado por todos aqueles que se preocupam com a saúde e o bem-estar dos cães, mas atualmente lutamos uma batalha perdida, enquanto esses cães continuam sendo usados sem necessidade pela publicidade imprudente. Estamos caminhando para uma crise de bem-estar para essas raças. Por isso, é o momento de as empresas priorizarem o bem-estar do cão sobre o  lucro”, acrescentou.

Segundo ele, isso também fará as empresas mostrarem que consideram seriamente sua responsabilidade social.

O presidente da Associação Britânica de Veterinária, John Fishwick, concorda: “No último ano, procuramos diretamente uma série de organizações que usam animais braquicéfalos em seu marketing, chamando a atenção para os problemas de saúde experimentados por essas raças”.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

COMPAIXÃO

VIOLÊNCIA

PESQUISA

APELO

RECOMEÇO

BARBÁRIE

SEGUNDA CHANCE

INSPIRAÇÃO

DESCARTE IRRESPONSÁVEL

BOA AÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>