Milhares de filhotes de tartarugas morrem após ninhos ficarem alagados


Pesquisadores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) afirmam que milhares de filhotes de tartarugas morreram porque os ninhos ficaram alagados em praias do Rio Araguaia, em Goiás. O motivo é que choveu muito na região, o nível da água subiu e atingiu a areia antes de os animais estarem prontos para sair dos buracos.

Filhotes de tartarugas morrem após ninhos ficarem alagados (Foto: TV Anhanguera/ Reprodução)

“Esse ano nós observamos que a desova da tartaruga se deu com atraso e resultou nesse fenômeno que nós estamos vendo aqui: um afogamento de vários ninhos”, disse o analista ambiental José Augusto Oliveira.

A região é uma das mais importantes áreas de desova das tartarugas da Amazônia. Só uma das praias alagadas possui cerca de 2 mil ninhos. De acordo com os ambientalistas, mais de 80% dos 240 mil filhotes morreram. Servidor do Ibama, Paulo José Saldanha diz que nunca tinha visto algo parecido: “A gente fica triste né”.

De acordo com os especialistas, as tartarugas não conseguem sair das covas porque a areia está úmida e pesada. “Elas não têm força para vencer a resistência da areia, se elas estivessem prontas, seria algo natural”, explicou a coordenadora do projeto, Cristiane Bortes Miguel.

Investigação

As equipes do Ibama correm pra salvar os ninhos que ainda não foram alagados e salvar o maior número possível de filhotes. Os pesquisadores também querem entender o que provocou o atraso no ciclo de reprodução das tartarugas.

“A dúvida agora é se é um fenômeno natural ou não, se a estiagem, a ausência de chuvas que estamos vivenciando em Goiás nestes últimos anos está afetando ou não”, disse Oliveira.

O analista explica que a morte dos filhotes pode causar um grande impacto na fauna da região.

“A tartaruga é um elo importantíssimo para a cadeia alimentar na fauna do Araguaia. Sem ela, a fauna fica comprometida”, explica Oliveira.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRIME AMBIENTAL

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE

RESILIÊNCIA

BRECHAS LEGAIS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>