População de guepardos diminui cada vez mais devido à perda de habitat e ao tráfico


Foto: Lukas Coch
Foto: Lukas Coch

O número de guepardos tem diminuído cada vez mais e os animais estão à beira da extinção. Estima-se que 7,100 indivíduos da espécie permaneçam na natureza em toda a África e em uma pequena área do Irã, de acordo com um estudo recente publicado na revista Proceedings da National Academy of Sciences.

O estudo descobriu que a invasão humana empurrou o grande predador para fora de 91% de seu habitat histórico, levando os pesquisadores a concluir que guepardos deveriam ser classificados como “em perigo” em vez do status menos grave “vulnerável” na lista de espécies ameaçadas em todo o mundo.

“Este período é realmente crítico para espécies como guepardos que precisam dessas grandes áreas”, disse Sarah Durant, especialista em guepardos na Sociedade Zoológica de Londres e principal autora da pesquisa.

Cerca de 77% dos habitats de guepardos estão fora das reservas de animais selvagens e outras áreas protegidas, exigindo que governos e aldeias promovam a tolerância em relação aos animais que, às vezes, caçam bois e vacas.

Além da perda de habitat, guepardos também enfrentam ataques de moradores, tráfico de seus filhotes e de suas peles, a ameaça de serem atingidos por veículos em alta velocidade e a perda de antílopes e outras presas que são mortos por suas carnes. Mais da metade dos guepardos do mundo vive na África Austral, incluindo na Namíbia e Botswana, que têm populações humanas relativamente escassas.

A espécie foi praticamente dizimada na Ásia, com menos de 50 no Irã, de acordo com a pesquisa, cujos contribuintes incluíram o grupo Panthera e a Wildlife Conservation Society.

Durant declarou que havia incerteza sobre o número de 7.100 indivíduos, que foi baseado em dados de especialistas em áreas onde vivem guepardos e estimativas de outras áreas. “Eles são difíceis de encontrar porque se movem em vastas regiões”, explicou ela.

Declínio no Zimbábue

A população de guepardos no Zimbábue declinou de estimados 1500 em 1999 para um número entre 150 e 170, de acordo com uma pesquisa conduzida entre 2013 e 2015 por um grupo chamado Cheetah Conservation Project Zimbabwe.

O grupo solicitou fotos de guepardos e relatos de avistamentos de turistas, guias e outros e entrevistou mais de mil pessoas.

Especialistas em guepardos observam que Angola está desenvolvendo um plano para proteger os animais e os cães selvagens africanos, o que poderia produzir dados mais precisos sobre o número de guepardos em um país onde a informação é escassa, disse a ativista Rosemary Groom.

Apesar da perda de habitat em todo o continente, a área de Mara, no sudoeste do Quênia e no Serengeti National Park, na Tanzânia, ainda oferece um refúgio para a espécie, de acordo com Femke Broekhuis, líder do Projeto Mara Cheetah.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CONSERVAÇÃO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

MAUS-TRATOS

HABITATS DESTRUÍDOS

OMISSÃO

ECONOMIA CIRCULAR

DEDICAÇÃO

TECONOLOGIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>