CONTEÚDO ANDA

Ameaçada de extinção, arara-azul-de-lear é resgatada na Bahia

Apesar de não ter ferimentos, foi encontrado um aumento do volume da articulação na asa direita da ave.

611

21/10/2017 às 08:00
Por Redação

Uma arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) foi resgatada em uma área aberta do município de Euclides da Cunha, na Bahia. O Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), foi acionado pela população local. O Cemave, então, entrou em contato com o Centro de Conservação e Manejo da Fauna da Caatinga (Cemafauna), que realizou o resgate.

A ave foi levada para um criadouro que irá reintroduzi-la na cachoeira (Foto: Adriana Alves)

A ave foi levada ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Cemafauna e submetida a exames, por meio dos quais foi possível descobrir um aumento do volume da articulação na asa direita, mas sem ferimentos.

A arara-azul-de-lear foi, então, transferida do Cetas para o criadouro científico Fazenda Cachoeira, local responsável pela conservação de espécies de aves ameaçadas de extinção, com o intuito de reintroduzi-las à natureza. As informações são do portal O Eco.

A arara-azul-de-lear, espécie endêmica da Caatinga, é encontrada apenas no nordeste da Bahia. Ameaçada de extinção, ela foi classificada pela IUCN como em perigo (Endangered). A destruição do habitat e o tráfico são as principais ameaças à arara, além da redução causada por humanos na disponibilidade de coquinhos da palmeira licuri, que lhes servem de alimento.