Pecuária quer superar marca de 140 galinhas assassinadas por minuto em cada máquina


A indústria pecuária americana quer aumentar o número de galinhas mortas por minuto em cada máquina. Atualmente, 140 aves são assassinadas. A PETA está criticando veementemente a cruel proposta.

A indústria pecuária quer aumentar o número de galinhas assassinadas por minuto em cada máquina (Foto: Mercy for Animals)

Representantes da indústria entraram com recurso no Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) para abolir o limite de velocidade das máquinas que matam as aves.

O limite atual de 140 galinhas por minuto já proporciona um sofrimento inimaginável para elas.

 

Em resposta ao recurso, a ONG fez uma demonstração em frente à sede do The National Chicken Council para ilustrar o crueldade imposta às galinhas.

A PETA explicou que, já que as máquinas trabalham no limite da velocidade permitida, muitas vezes o corte das lâminas não acerta o pescoço das galinhas, fazendo com que morram escaldadas na água fervente dos tanques que removem as penas.

A ONG fez uma demonstração em frente à sede do The National Chicken Council para ilustrar o sofrimento terrível das galinhas. (Foto: PETA)

De acordo com a ONG, aumentar o limite de velocidade das máquinas aumenta também o número de erros cometidos por elas, o que gera ainda mais sofrimento para as galinhas.

Nota da Redação: a indústria pecuária é extremamente cruel com os animais, desde o momento em que nascem até a hora em que são assassinados para consumo humano. Durante toda a vida, os animais são submetidos a torturas, sendo inclusive espancados e eletrocutados, além de viverem confinados em instalações minúsculas. Assim como os humanos, eles sentem dor e medo e, por essa razão, é necessário que seja realizado um trabalho de conscientização acerca da crueldade desta indústria para que ela possa ser completamente extinta.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ESTRESSE

RESILIÊNCIA

BRECHAS LEGAIS

DENÚNCIA

ATROCIDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>