Porco sofre maus-tratos ao ser levado a estádio por torcedor do Palmeiras


Um filhote de porco foi levado ao jogo do Palmeiras contra o Atlético-GO, na cidade de Goiânia, por um palmeirense. Lúcio Nunes da Mata, professor aposentado de 62 anos, viajou 60 km de Anápolis, onde mora, até a capital, levando o porco consigo em uma van de torcedores. Além da viagem cansativa, o porco foi submetido à imenso estresse durante a partida de futebol, ao ser chacolhado pelo torcedor em meio à gritaria, fogos e muito barulho.

Imagens feitas do momento em que Lúcio aparece com o porco em meio à torcida revelam o estresse ao qual o porco foi submetido. Durante entrevista concedida à ESPN, na qual Lúcio afirma ter uma criação de porcos, é possível, inclusive, ouvir os gritos do porco, aterrorizado.

O porco levado ao estádio pelo torcedor gritava em reação ao estresse sofrido (Foto: Divulgação)

O Artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais (9.605/98) considera crime “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”, com penalidade de detenção de três meses a um ano, além de multa. Levar um porco para um ambiente ao qual ele não está acostumado, com barulho excessivo, gritaria, fogos de artifício e sacudi-lo repetidas vezes caracteriza-se como maus-tratos, já que a situação fez com que o porco ficasse em desespero devido ao estresse sofrido, sendo então violência psicológica.

Além de ter gerado estresse ao porco, Lúcio o transportou de forma irregular, trazendo-o em uma van, quando o transporte só poderia ter sido feito após emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA) feita pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que libera o transporte apenas quando é realizado segundo as normas vigentes, com veículo e equipamentos adequados, o que não era o caso da van. As informações são do portal Vista-se.

Outros animais foram levados ao estádio

Outros dois porcos já foram levados por Lúcio a jogos do Palmeiras. Além disso, o torcedor é conhecido entre a torcida do Anápolis, time para o qual ele também diz torcer, por levar galos vivos ao estádio. A prática irresponsável teve início em 2004.

Lúcio é conhecido por levar galos em jogos do Anápolis (Foto: Divulgação)

As autoridades competentes e os times de futebol, lamentavelmente, não se pronunciaram sobre a exposição de animais às situações de maus-tratos promovidas pelo torcedor.

Veja o vídeo do porco em meio à torcida:

Confira a entrevista do torcedor a ESPN:


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

RETROCESSO

RESPONSABILIDADE

SOLIDARIEDADE

MISSÃO

ACADEMIA ESPECISTA

SADISMO

DE OLHO NO PLANETA

ARTIGO

MAUS-TRATOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>