Espécie em extinção: tatu-canastra morre ao ser atropelado no MS


Um tatu-canastra morreu após ter sido atropelado na rodovia MS-395 entre Anaurilândia e Bataguassu, municípios de Mato Grosso do Sul. A Polícia Militar Ambiental (PMA) informou que o tatu, que está na lista brasileira de espécies em extinção, pesava 36 kg.

O tatu de 36 kg morreu após ser atropelado (Foto: PMA)

De acordo com a PM Ambiental, o tatu-canastra pode medir até um metro de comprimento, além de 50 centímetros de cauda, e pesar até 60 kg.

A espécie tem patas grandes e unhas que chegam a 20 centímetros. Habita os campos e cerrados de todo o Planalto Central do Brasil e também a floresta Amazônica. As informações são do Mídia Max.

Encontrado geralmente próximo a riachos e lagos, o tatu-canastra tem hábitos noturnos e faz grandes buracos no solo para se alojar. As fêmeas tem de um a dois filhotes por gestação.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

DEBILITADO

DECISÃO JUDICIAL

INSPIRAÇÃO

DENÚNCIA

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

RETROCESSO

RESPONSABILIDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>