Crueldade: Maduro incentiva o consumo de carne de coelho na Venezuela


Comer carne virou luxo para muitos venezuelanos devido à crise econômica, por essa razão, o governo, de forma cruel e absurda, resolveu tentar reverter este quadro com o “plano coelho”, uma iniciativa para incentivar a criação e o consumo da espécie. Além de não levar em consideração a vida do coelho – que lhe será tirada sem a menor piedade – o governo ignora também o fato de que a queda no consumo de carne no país não deve ser encarada como um problema, já que além da variedade imensa de vegetais existentes, a carne tira vidas, destrói o meio ambiente e causa danos à saúde de quem a consome.

Maria Galindo com a coelha Lola, em Caracas, na Venezuela (Foto: Reuters/Marco Bello)

Maduro quer se apropriar do fato dos coelhos se reproduzirem com frequência para matá-los, já que quanto mais se reproduzirem, mais carne haverá. O pensamento do presidente da Venezuela é reprovável não só no aspecto do incentivo ao consumo de carne, mas também no interesse em matar coelhos devido à alta reprodução da espécie, o que indica que eles serão ainda mais explorados para que tenham mais filhotes. “Para a proteína animal, que é um tema tão importante, aprovou-se o início de um ‘plano coelho’, porque os coelhos se reproduzem como coelhos”, disse Maduro na noite da última terça-feira (12) em uma rede de rádio e televisão, segundo informações do G1.

O plano, segundo Maduro, faz parte da ofensiva contra a “guerra econômica” – como se refere à crise – e está sob a responsabilidade de Freddy Bernal, chefe de um programa de venda de alimentos subsidiados em setores populares.

Felizmente, a população foi mais sensível à importância da vida dos coelhos do que o político e o chefe do programa de alimentos. Bernal entregou recentemente filhotes em bairros pobres, mas, segundo ele, a ação teve efeito contrário: as pessoas se apegaram aos mamíferos e “lhes adotaram como animais domésticos”.

O que poderia ser o fim de todo o horror proposto por Maduro, piorou quando Bernal decidiu iniciar uma campanha estimulando a crueldade animal, por meio da qual incentivou as pessoas a enxergarem coelhos como meros pedaços de carne e não como seres vivos que merecem respeito.

Bernal comentou que “muita gente colocou nomes nos coelhos e que os levaram para dormir na cama”, atitude que, acredita ele, deve ser combatida como “parte da batalha para ganhar a guerra econômica”. Entretanto, Bernal e Maduro desconsideram o fato de que os coelhos não tem ligação alguma com a economia do país e não devem ser responsabilizados por um problema que não foi causado por eles.

Não satisfeito com tamanha crueldade imposta aos coelhos, o governo socialista também insinuou a criação de cabras para substituir o consumo de carne bovina.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DIFICULDADES FINANCEIRAS

BELO HORIZONTE (MG)

COVARDIA

CRUELDADE

PROTEÇÃO ANIMAL

ALERTA

VITÓRIA

INVESTIGAÇÃO

FLÓRIDA

JAPÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>