Trinta mil ativistas marcham nas ruas de Tel Aviv pelos direitos animais


Manifestação a favor dos direitos animais em Israel. Crédito: Facebook
Manifestação a favor dos direitos animais em Israel. Crédito: Facebook

Milhares de manifestantes se reuniram no centro de Tel Aviv, em Israel, no último sábado (09) para protestar pelo fim da crueldade contra animais. O evento está sendo considerado o maior protesto a favor dos direitos animais da história do país.

Os participantes levavam cartazes com as frases “compaixão, justiça e veganismo!” e mensagens contra a o fim da produção de animais para consumo humano.

Shira Hertzanu, chefe de comunicação da ONG Anonymous for Animal Rights e organizadora do evento, explica que se esforçou para unir grupos de proteção animal e todo o trabalho empenhado foi direcionado no sentido de reunir um número recorde de participantes.

“Esta é a maior marcha pelos direitos animais da história. Estimamos a participação de 30 mil pessoas exigindo justiça e compaixão por todos os animais, sejam eles explorados pela indústria de alimentos como os selvagens e domésticos. Todas as pessoas que participaram são bondosas e que não querem que os animais sofram”, conta.

O protesto teve a maior participação na história do país. Crédito Facebook
O protesto teve a maior participação na história do país. Crédito Facebook

Ela foi uma das autoras da petição Let the Animals de 2015 que exigiu a criação de leis mais rigorosas de proteção aos animais. A ativista afirma que os manifestantes têm demandas muito especificas para o governo em relação ao respeitos pelos animais e seu reconhecimento como detentores de direitos.

As principais pautas das ONGs e grupos abolicionistas do país são o fim da importação de animais para consumo humano e a proibição da venda de peles.

“Israel foi praticamente o primeiro país do mundo a proibir a exploração de animais por sua pele, mas essa lei foi revogada. Enquanto isso outros países já progrediram nessa questão e queremos progredir também. Não podemos tirar a pele de animais simplesmente para enfeitar roupas”, diz Hertzanu.

Hertzanu disse que uma terceira demanda é que as penalidades por crueldade animal sejam mais severas.

“Há leis para proteger os animais, mas elas não são cumpridas”, lamentou.

“Sejam animais como gatos e cachorros, ou animais na indústria de alimentos. Temos muitas pesquisas que mostram a crueldade nos matadouros, mas ninguém é punido. Vimos que as punições não são suficientes; elas não estão realmente impedindo que as pessoas cometam crueldades com animais “.

A última demanda dos manifestantes é que o governo amplie seu orçamento para a castração dos animais e institua uma política de não matar animais saudáveis nos abrigos.

Veja o vídeo:

Omri Paz, diretor executivo da Vegan Friendly Organization, ecoou as palavras de Hertzanu, e acrescentou que ele esperava que o protesto incentivasse as pessoas a pararem de comer carne e comprar produtos fabricados com couro e peles.

“Esperamos que, pelo menos por um dia, todo o país e toda a imprensa parem e deixem que sejam mostrados os problemas enfrentados pelos animais nas indústrias e todos os abusos que sofrem os cachorros, os gatos e todos os outros animais”, disse ele.

“A mensagem que queremos transmitir é a de que a decisão está em nossas mãos e nós temos a capacidade de mudar a realidade, não é necessário que a iniciativa parta do governo”, acrescentou Paz. “Tudo é possível, desde que as pessoas estejam mais conscientes do assunto”, conclui o ativista.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DESMATAMENTO

BARBÁRIE

PRESSÃO INTERNACIONAL

INVOLUÇÃO

UNIÃO

PREVENÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>