Milhões de patos e pintinhos recém-nascidos são enviados pelo correio como se fossem mercadorias


Milhões de patos e pintinhos recém-nascidos são enviados pelo correio, colocados em caixas, endereçados e transportados como se fossem objetos inanimados.

Pintinhos são transportados por correspondência
Foto: SanduStefan/Pixabay

Em uma petição sobre o assunto, colocada no Care2, a organização de direitos animais Farm Sanctuary explica alguns fatos sobre essa prática cruel.

As aves enviadas pelo correio geralmente têm apenas um dia de vida e, durante o transporte, ficam sem comida ou água. A maioria dos animais é enviada para a indústria de ovos. Surpreendentemente, os trajetos que eles precisam enfrentar dentro de caixas escuras pode demorar até 72 horas.

É comum que alguns pintinhos morram ao longo do caminho. Por isso, às vezes, as granjas enviam animais “extras”. O Farm Sanctuary enfatiza que esses pintinhos adicionais são do sexo masculino e são considerados inúteis  pela indústria. Eles são tão desvalorizados que foram classificados como apenas “material de embalagem”, de acordo com o One Green Planet.

Os bebês pintinhos aparecem em belos cartões de Páscoa e, como a maioria dos filhotes de animais, são considerados “fofos” por muitos seres humanos.  Porém, a  realidade sobre o que acontece com eles na indústria da carne e de ovos é algo que a maioria das pessoas prefere ignorar.

Na indústria de ovos, os pintinhos machos são assassinados logo após o início de suas vidas. Como eles não colocam ovos, são considerados inúteis.

Frequentemente, eles são mantidos em recipientes comerciais que possuem uma média de 80 a 100 animais por caixa, o que resulta em superaquecimento. As condições desumanas do transporte são uma das inúmeras questões que geram preocupação e isso deve acabar.

O Farm Sanctuary tem liderado a luta para acabar com o tratamento extremamente cruel e irracional desses seres inocentes. “Acreditamos que os animais que vivem em fazendas devem ser tratados como indivíduos, não mantidos em fazendas industriais, nem embalados, carimbados e enviados por correio”, escreveu o grupo.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SUSTENTABILIDADE

NEGLIGÊNCIA

SOFRIMENTO

PORTO ALEGRE (RS)

INSENSIBILIDADE

GOIÂNIA (GO)

MÉXICO

ACIDENTE

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>