A dissolução afeta muitas indústrias, incluindo engenheiros civis, que dependiam de suas orientações para criar infraestruturas muito dependentes de modelos climáticos.

Donald Trump
Foto: Reprodução, VegNews

“Precisamos trabalhar na atualização dos nossos padrões com boas estimativas sobre como será o futuro do clima e do tempo extremos.  Acho que será um sério obstáculo para nós o fato de o Conselho Consultivo não ser funcional”, afirmou o engenheiro civil Richard Wright ao The Washington Post.

Em Janeiro, a administração de Trump removeu todas as menções sobre mudança climática do site da Casa Branca, informa a VegNews.

Depois de se retirar do Acordo de Paris, esse último movimento da administração distancia ainda mais os Estados Unidos da crescente crise ambiental criada por uma combinação de fatores, incluindo a pecuária, responsável por duas vezes mais emissões de gases de efeito estufa do que todo o setor de transporte, segundo as Nações Unidas.

O fim do comitê não afeta a publicação do seu próximo relatório quadrienal de Avaliação Nacional do Clima (NCA) (que será lançado na próxima primavera), que descreve as tendências das mudanças climáticas globais e prevê seus efeitos sobre a biodiversidade, a saúde humana, os sistemas sociais, os meios de transporte e a agricultura.