Curitiba (PR) registra 10 ocorrências de maus-tratos contra animais por dia


A Prefeitura de Curitiba, no Paraná, afirma que, desde o ano passado, dez denúncias de maus-tratos contra animais são feitas por dia no município. Média abaixo da registrada nos anos de 2013 e 2014 pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA). Do total de denúncias, cerca de 10% se confirmam.

A Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba (SPAC) relata que casos de maus-tratos chegam até a instituição diariamente, situação compartilhada também pela ONG do Cão.

Acorrentar animais se caracteriza como maus-tratos (Foto: Divulgação/Imagem meramente ilustrativa)

A Delegacia de Meio Ambiente está investigando uma chacina de cachorros no bairro Pilarzinho. Sete cães foram encontrados mortos no local, entre os meses de junho e julho, com suspeita de envenenamento. Os corpos deles foram desovados com latas e restos de obras. Dois Boletins de Ocorrência foram feitos por moradores indignados com o crime.

A presidente da SPAC, Soraya Simon, explica que maus-tratos se caracteriza como qualquer situação que coloque um animal em sofrimento. “Em Curitiba, os casos mais comuns são de animais que não recebem o tratamento adequado, ficam acorrentados, sem abrigo, abandonados ou sem a guarda responsável. Aí esses animais adoecem, se acidentam, e acabam sendo resgatados até por terceiros”, aponta.

A pena para o crime de maus-tratos varia de três meses a um ano de prisão, com punição aumentada de 1/6 a 1/3 em caso de morte do animal. Entretanto, como é considerado crime de menor potencial ofensivo, a punição pode ser substituída por pagamento de multa, prestação de serviços à população, doação de cestas básicas ou de pacotes de ração. Há também punições administrativas, que podem resultar em multa de R$ 500 a até R$ 3 mil por animal maltratado.

“Toda hora chega denúncia para gente, mas ficamos de mãos atadas. Mal temos a ração para dar pros animais que acolhemos. O povo todo está sem dinheiro. Mesmo quem quer ajudar, não consegue”, afirma a presidente da ONG do Cão, Rita da Silva. “Pessoal vai viajar, se muda, e larga o cão. Onde você vai tem animal abandonado e isso está aumentando cada vez mais”, alerta a protetora em entrevista ao portal Bem Paraná.

Como denunciar

A denúncia pode ser feita na Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), localizada na Rua Erasto Gaertner, 1261, no Bacacheri. O Batalhão de Polícia Ambiental, a Promotoria do Meio Ambiente e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente também recebem denúncias, que podem ser feitas de forma anônima e sigilosa, por meio do telefone 156.

Relação com a violência doméstica

Estudos recentes demonstram que 69,3% dos criminosos que cometeram abusos contra animais tiveram envolvimento em outros crimes violentos. Há também um registro de que 54% das mulheres que procuram abrigos nos EUA relatam morte ou agressão do animal doméstico pelo marido.

Em Curitiba, a professora da UFPR, Rita de Cassia Garcia, da área de Medicina Veterinária do Coletivo, é autora da tese “O Elo”. Segundo ela, maus-tratos aos animais podem ser indicadores de futuros comportamentos criminosos, além de poderem indicar que há desarmonia em uma família, servindo como sinal de alerta para, por exemplo, negligência e abusos físicos e psicológicos contra mulheres, crianças, adolescentes e idosos.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

BOA AÇÃO

CHINA

HEROÍNA

FINAL FELIZ

PAUTA EMERGENCIAL

SOLIDARIEDADE

GESTO DE AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>