ONG cria petição para salvar a vida de 650 galgos de canídromo de Macau


A Sociedade Protetora dos Animais de Macau (Anima) criou uma petição internacional para conseguir que aproximadamente 650 cães galgos de um canídromo, local de corrida de cães, sejam adotados.

Cães galgos durante corrida em Canídromo de Macau
Galgos de canídromo serão mortos se não conseguirem um lar após o fechamento do local (Foto:Reprodução / Ponto Final)

“Cerca de 650 galgos em Macau precisam ser colocados em segurança, respeitando todos os regulamentos locais e internacionais relacionados com o movimento e transporte dos cães”, afirma a petição da Anima, em parceria com as associações Grey2K, dos Estados Unidos, e Pet Levrieri, da Itália.

O presidente da Anima, Albano Martins, afirma que quer conseguir adotantes que se comprometam a cuidar dos cães como animais domésticos e não como cães de corrida. “Antes de a petição ser lançada, já tínhamos 250 adotantes, mas precisamos garantir a segurança e o bem estar dos cães”, diz. “Por isso, pedimos ajuda aos nossos colegas da Europa e dos Estados Unidos, por existir nesses países legislação que protege os galgos como animais domésticos”.

O presidente afirma que a Anima pode mandar os galgos para locais como Singapura e Honk Kong, mas não para o Paquistão, Vietnã e Indonésia, onde não existe legislação que garanta a proteção dos direitos animais.

Cães galgos durante corrida em Canídromo de Macau
Anima tenta conseguir a guarda dos cães galgos (Foto: Reprodução / Publico.pt)

“Tecnicamente, o Canídromo – como tutor dos cães – pode mandar os galgos para onde quiser, mas queremos que o Governo de Macau perceba que esta não é uma boa solução, já se encontraram muitos galgos nas meses de restaurantes na China e no Vietnã”, explica.

A associação pediu ao Governo de Macau que os galgos fossem entregue à sociedade, assim como a gestão do canídromo, por pelo menos um ano após o fechamento do local. Isso permitirá que a associação consiga tratar a transferência e a adoção de todos os cães.

“Este pedido ainda não teve uma resposta do executivo”, mas o Governo sabe que “não é uma boa imagem para Macau se em julho de 2018, todos aqueles animais forem mortos”, afirma.

Contudo, Martins permanece esperançoso quanto à decisão do Governo. “É possível encontrar uma solução e salvar todos os galgos, desde que o Governo comece a trabalhar conosco agora”, diz.

O caso

Em dezembro de 2016, o Governo de Macau, região administrativa especial da China, decidiu que o Canídromo de Macau, uma das mais cruéis pistas de corrida de cães galgos do mundo por ONGs internacionais, só poderá funcionar até julho de 2018.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CONSERVAÇÃO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

MAUS-TRATOS

HABITATS DESTRUÍDOS

OMISSÃO

ECONOMIA CIRCULAR

DEDICAÇÃO

TECONOLOGIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>