Gisele Bündchen denuncia crueldade da indústria de pele em capa da Vogue Paris


Capa da Vogue com Gisele Bündchen
Foto: Reprodução, Instagram

“Muito feliz que a Vogue Paris dedicou esta edição à proteção animal, enviando uma forte mensagem de que usar pele verdadeira não é uma opção. Os grandes designers agora já fazem lindas roupas com pele falsa”, escreveu a modelo em seu Instagram.

A participação de Gisele, somada à ênfase dada aos direitos animais em uma revista de extrema relevância mundial, é uma grande vitória para o movimento. Ao denunciar a barbaridade da indústria de pele, a revista também mostra as mudanças que têm ocorrido na moda.

Cada vez mais estilistas têm se posicionado contra essa crueldade e utilizado materiais sintéticos em suas confecções. Em 2016, Giorgio Armani anunciou que o grupo Armani iria abolir o uso de pele animal.

Já a estilista e ativista pelos direitos animais Stella McCartney, filha de Paul MacCartney e que  concedeu uma entrevista à Vogue de Agosto, lançou uma coleção sem pele na Semana de Moda de Paris deste ano. Ela utilizou um novo material de couro vegano, chamado “skin-free skin”, em todas as calças de couro sintético, casacos, camisas e bolsas de camurça.

Stella também é conhecida por seu engajamento na causa ambiental e decidiu usar detritos plásticos, que poluem os oceanos e matam inúmeros animais marinhos, em suas criações.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA

JAPÃO

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO SONORA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>