Trump retira proteções federais concedidas a ursos e deixa animais vulneráveis à caça


Um comunicado de imprensa alegou que, devido ao sucesso dos esforços de proteção, a população dos ursos de Yellowstone se recuperou e as proteções federais não são mais necessárias.

Urso-pardo, espécie ameaçada por decisão de Trump
Foto: Yellowstone Insider

O secretário do Interior dos EUA, Ryan Zinke, chegou até mesmo a se referir orgulhosamente sobre essa “conquista” como um dos “grandes sucessos de conservação da América”.

Calcula-se que a população de ursos tenha se recuperado de em torno de 136 membros em 1975 para cerca de 700 hoje e agora cumpre todos os critérios de exclusão da legislação de acordo com o governo.

Porém, segundo o comunicado do Centro de Diversidade Biológica, enquanto os números dos ursos-pardos na área do Grande Yellowstone melhoraram desde que os animais foram protegidos pela primeira vez em 1975, dados científicos mais recentes mostram uma queda no número da espécie nos últimos dois anos.

Isso pode ser atribuído principalmente à caça, a conflitos relacionados a fazendeiros e a acidentes de carro, apontou o World Animal News.

“É trágico que a administração do Trump esteja retirando as proteções desses magníficos animais apenas para agradar um pequeno grupo de caçadores de troféus que querem colocar as cabeças dos ursos-pardos em suas paredes”, ressaltou Andrea Santarsiere, advogada  do Centro de Diversidade Biológica.

“Esta decisão ultrajante desconsidera a melhor ciência disponível. A proteção dos pardos deu passos significativos, mas o trabalho para recuperar esses belos ursos possui um longo caminho a percorrer”, acrescentou.

De acordo com o Centro, os ursos-pardos geralmente ocupam menos de 4% da sua faixa histórica nos EUA. Historicamente, eles percorriam do Alasca ao México, sendo que cerca de 50 mil  ocupavam a metade ocidental dos EUA.

Com o povoamento europeu no Oeste norte-americano, os ursos foram baleados, envenenados e capturados até quase serem extintos. Hoje, apenas 700 deles vivem na área de Yellowstone.

O anúncio de retirar a proteção federal ocorre em um momento em que as principais fontes de alimentos dos ursos que vivem no coração do ecossistema de Yellowstone estão entrando em colapso e as taxas de mortalidade dos animais aumentaram. A seca e as mudanças climáticas provavelmente irão agravar esse cenário perturbador.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CALIFÓRNIA

ANGÚSTIA

COMPANHIA

VIOLÊNCIA INJUSTIFICADA

ASSASSINATO BRUTAL

EXEMPLO

AGROPECUÁRIA

POVOS ORIGINÁRIOS

FINAL FELIZ


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>