Toureiro premiado morre após ter pulmão perfurado por touro em arena


Iván caiu durante passe e foi mortalmente ferido por touro Foto: IROZ GAIZKA / STR/AFP

Iván ganhou muito prêmios por matar e torturar animais. Ele matou seu primeiro touro com apenas 14 anos de idade.

Ele foi atingido no pulmão pelo animal torturado após enrolar os pés no próprio manto e cair. De origem basca e natural de Orduna, na Espanha, o toureiro matou centenas de touros durante seus 20 anos de atuação. Apenas em 2016 foram 34 touradas.

Ele ainda foi levado com vida para o hospital, mas não resistiu. Fandiño deixa uma esposa e uma filha.

Mortes de toureiros

Ivan Fandino é ferido por touro na arena Foto: IROZ GAIZKA / STR/AFP

Um dos casos mais recentes foi o toureiro espanhol Víctor Barrio, 29 anos, que faleceu após ser chifrado no peito por um touro sodomizado por ele publicamente durante uma tourada na cidade de Teruel, em Aragão, na Espanha. O espetáculo estava sendo exibido ao vivo na principais emissores na região ibérica e chocou o mundo.

Touradas: barbárie e crueldade

Espetáculos que envolvem a tortura de touros remontam ao século 17 e tiveram sua origem na península ibérica antes de se espalharem para outros países como França, Filipinas, China e países invadidos e colonizados por espanhóis na América Latina. O conjunto dessas práticas cruéis são conhecidas como touramquia e são principalmente divididas em touradas e corridas de touros.

Foto: IROZ GAIZKA / STR/AFP

Animais abusados nesses espetáculos são criados e mantidos em condições de maltrato extremo para se tornarem “bravios” e serem considerados “dignos” de irem para a arena, onde serão agredidos e atingidos com facadas, lanças e espadas até a morte para deleite do público.

Práticas touromáquicas são fortemente combatidas por ativistas dos direitos animais na Europa e já tiveram sua realização proibida e em algumas cidades portuguesas e espanholas após um forte apelo público pedindo o fim de uma atividade que assassina brutalmente animais apenas pela maldade e egoísmo humano.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROGRESSO

GANÂNCIA

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL

COREIA DO SUL

VEGANISMO

PRESSÃO PÚBLICA

RESILIÊNCIA

RECOMEÇO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>