Cachorra é salva de fazenda de carne a tempo de dar à luz


Cachorra rosa em fazenda de carne
Foto: Humane Society de Tampa Bay

Eles eram aprisionados por uma indústria que se preocupava apenas com o lucro e, sem ajuda externa, teriam um destino trágico.

Depois de trabalhar incansavelmente para libertar os seres inocentes destinados à morte, a HSI resgatou com sucesso 200 cães. O primeiro passo foi retirá-los da fazenda, mas não foi o último.

Dos 200 cães salvos, 14 deles foram enviados para a Humane Society de Tampa Bay, nos Estados Unidos. Entre eles estava Harriet, que dormia de pé porque não compreendia o que era uma cama, e Harry, que se encolheu no canto do seu canil para evitar contato visual.

Havia também Rosa. Quando a cachorra estava em segurança no abrigo, seu medo extremo fez com que ela se fechasse completamente. Ela jogou-se na parede tentando desaparecer e sua linguagem corporal mostrava à equipe que ela era extremamente desconfiada em relação aos humanos.

Eventualmente, Rosa permitiu que apenas uma pessoa, seu treinador, se aproximasse dela. Não demorou muito a verdadeira razão por trás de sua extrema ansiedade ser descoberta.

Depois de sobreviver a uma fazenda de carne, ser transportada por milhares de quilômetros e introduzida em um ambiente completamente novo e estranho, Rosa lidava com mais um estresse: estava grávida.

“Ela está em fase bem avançada e pode dar à luz em breve. Nós a colocamos em um canil silencioso longe onde ela pode se sentir mais segura. Estamos extremamente gratos por ela ainda não estar presa em uma gaiola imunda e lotada onde daria à luz sozinha e agora seus filhotes terão uma chance de lutar”, declarou a Humane Society de Tampa Bay em um comunicado para a imprensa.

Cachorra com seus filhotes
Foto: Humane Society de Tampa Bay

Eles anunciaram a gravidez de Rosa em 30 de janeiro, e no dia seguinte, a cachorra deu à luz seis filhotes saudáveis. Os cinco machos e uma fêmea foram acolhidos em um mundo onde viverão livres do confinamento e do matadouro, segundo o I heart dogs.

A mãe deles, no entanto, não está completamente livre das memórias de sua vida anterior. O estresse pós-traumático de Rosa continuou depois que os cãezinhos nasceram e logo ficou claro que o ambiente de abrigo não estava ajudando.

Um representante da Humane Society disse à FOX13: “Como ela não irá permitir que os humanos se aproximem dela,  será encaminhada a um tutor adotivo com o tipo de reabilitação e ambiente de que necessita”.

A vida em um lar temporário pareceu se adequar à cachorra e, mais de dois meses depois que ela foi resgatada, a Humane Society fez um anúncio emocionante.

“Isto é grandioso! Pela primeira vez desde que chegou até nós no dia 22 de janeiro, Rosa aceitou os animais domésticos da voluntária Lori Smart. Lori vem  fielmente todos os dias para sentar com Rosa e ajudá-la a aprender a confiar. Está funcionando!”, disse a organização.

 

 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TRATAMENTO

PROTEÇÃO ANIMAL

CRUELDADE

GRATIDÃO

ESPECIAL

ALEGRIA

VÍTIMAS DA CAÇA

MAUS-TRATOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>