CONTEÚDO ANDA

Redes de drones são usados para combater caça de animais

No continente africano, estima-se que um elefante é morto a cada 14 minutos e um rinoceronte a cada 9-11 horas. Diante do problema de assassinado de animais silvestres, a instituição...

396

19/05/2017 às 09:00
Por Janaína Fernandes, ANDA

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Caçador cortando chifre de rinoceronte

Drones serão utilizados para evitar aproximação de caçadores

No continente africano, estima-se que um elefante é morto a cada 14 minutos e um rinoceronte a cada 9-11 horas. Diante do problema de chacina de animais silvestres, a instituição Linderbergh Foundation juntamente com uma empresa de software criou uma alternativa para contornar a situação, a utilização de drones de vigilância.

A fundação que estima que os elefantes africanos sejam extintos em dez anos, aliou-se a empresa de software para redes neurais, Neurala, a fim de desenvolver um sistema capaz de detectar caçadores no momento em que eles se aproximam dos animais.

Para isso, o programa Air Sheperd utilizará redes de drones de vigilância, que voarão em silêncio e terão capacidade de infravermelhos. Os aparelhos têm autonomia de voo de até cinco horas e são comandados a partir de uma base móvel, que recebe os feeds de vídeo e envia os alertas para as autoridades apanharem os caçadores em plena ação, explica o ZDNet.

Elefante africano

Fundação estima que elefantes africanos sejam extintos em dez anos

A vantagem da utilização de rede neurais é que o sistema de sensores pode “aprender” a identificar os objetos de interesse e estas ajudam ainda os vigias humanos a analisar terabytes de vídeo em tempo real, distinguindo animais, veículos e caçadores.

O projeto conta com fundos do World Wildlife Fund e a Google cogita participar da investigação e desenvolvimento para contribuir no combate desses crimes.

De acordo com uma pesquisa da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês), feita no ano passado, a população de elefantes na África caiu cerca de 20% entre 2006 e 2015 devido a um aumento na caça ilegal de marfim em todo o planeta.

Em 2013, Já cerca de 668 rinocerontes foram mortos para a extração dos chifres, um número recorde que representa um aumento de 50% em relação ao ano de 2011. A maioria deles foi morta no Parque Nacional Kruger, a maior reserva de vida selvagem do país. A África do Sul abriga cerca de três quartos da população de rinocerontes do mundo, que chega a um total de 28 mil animais.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.