Chimpanzé argentina libertada por habeas corpus completa um mês em santuário


Cecília completou um mês da transferência da Argentina para o santuário em Sorocaba (Foto: TV TEM/Reprodução)

A chimpanzé Cecília, que foi trazida ao Brasil depois de conseguir na justiça argentina a liberdade por meio de um habeas corpus, completou um mês no Santuário de Grandes Primatas em Sorocaba (SP). Segundo as veterinárias do local, ela já apresentou mudança no comportamento, está se adaptando bem e já tem até um pretendente.

Desde que chegou ao Brasil, Cecília está em um recinto com cerca de 500 metros quadrados. O espaço possui estruturas de concreto que servem para abrigo, observatório e diversão. Os funcionários contam que ela gosta de passear no gramado, é um pouco curiosa e muito tímida.

O cenário é bem diferente do isolamento em que ela vivia em um cativeiro com condições inadequadas no zoológico de Mendoza, na Argentina. Lá, a chimpanzé ficava sozinha em uma jaula de cimento depois que os pais e uma irmã morreram. Ela tem 20 anos e nunca tinha pisado em um pedaço de terra e nem visto o céu antes de ser transferida.

Ativistas argentinos entraram na justiça para pedir a retirada dela do zoo. Numa decisão histórica, a justiça argentina concedeu um habeas corpus para Cecília, um recurso jurídico até então concedido somente para humanos.

Chimpanzé argentina Cecília está vivendo há um mês no Santuário dos Primatas em Sorocaba (Foto: TV TEM/Reprodução)

No começo do mês passado, foi determinada a transferência dela para o Santuário dos Grandes Primatas em Sorocaba, que é referência mundial no acolhimento destes animais. Hoje o local abriga 52 chimpanzés, que vieram de criadores, zoológicos e circos. Cecília é a mais nova moradora.

“Ela está começando a se alimentar melhor agora, tem bastante variedade. Ela não gostava de comer banana e agora come bastante. E ela é bem seletiva, cada dia ela gosta de comer uma coisa diferente, ela vai experimentando tudo”, conta a veterinária Juliana Kihara.

Segundo as veterinárias, Cecília tem andado bastante no recinto, o que indica que ela está gostando da nova casa e se saindo muito bem na adaptação. Ela até ganhou camas suspensas para se aconchegar, mas por enquanto prefere dormir no chão.

Dois pretendentes

Como a intenção do santuário é abrigar os animais, não há visitação pública e Cecília vive no sossego. Os tratadores se preocupam agora em arrumar um pretendente para a chimpanzé. O candidato escolhido foi Billy, que também tem 20 anos e veio de um circo.

Mas Cecília não quis saber do pretendente e agora vão tentar arrumar para ela um “novinho”: Marcelino, chimpanzé que é dez anos mais novo e já nasceu no santuário.

Marcelino pode ser o novo companheiro da chimpanzé Cecília no Santuário dos Primatas (Foto: TV TEM/Reprodução)

“Se depender da gente, ela vai ter um companheiro. Vamos procurando alguém que ela goste de viver para ela se sentir bem. Chimpanzé é um animal de grupo. Para eles, a solidão é um fator muito ruim, é uma espécie de maus-tratos você manter um chimpanzé sozinho e isolado. Eles precisam interagir”, explica a veterinária Camila Gentile.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRIME AMBIENTAL

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE

RESILIÊNCIA

BRECHAS LEGAIS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>