Mais de 2300 ocorrências de resgate de animais silvestres ocorreram este ano no Rio


Guardas ambientais fazem resgate de bicho-preguiça no Rio
A maior parte das ocorrências foram na Zona Oeste do Rio (Foto: Divulgação)

O Corpo de Bombeiros recebeu 2.375 ocorrências de resgate de animais silvestres no Rio de janeiro a março deste ano, sendo a maioria na Zona Oeste da cidade.

O coronel Luciano Sarmento, comandante do Grupamento de Busca e Salvamento da Barra do Corpo de Bombeiros, disse ao jornal EXTRA que um dos animais que geram mais ocorrências é o jacaré, que frequentemente aparece nas piscinas de condomínios dos bairros da Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes.

“Imagina, você chega em casa, em um dia de sol, e decide ir à piscina. Coloca sua canga ao lado da água e se depara com um jacaré de um metro e meio nadando do seu lado. Parece até cena de filme, mas isso é mais comum do que a gente imagina”, afirma o coronel.

Segundo a matéria publicada no EXTRA, nos três primeiros meses do ano, um animal foi resgatado a cada hora, como por exemplo, bichos-preguiça, tartarugas, ouriços, entre outros. O designer Affonso Fernandes, 56 anos, disse que já resgatou 3 animais silvestres nas ruas da Cidade Maravilhosa.

O designer posa com o gambá resgatado no colo
Affonso resgatou um gambá e o apelidou de “Gambátman” (Foto: Arquivo Pessoal)

“Moro e trabalho em uma área com muita mata. Então, esses encontros são normais para mim. Já salvei um filhote de gambá de ser atacado por um gato na Gávea. Também resgatei uma coruja perdida pelas ruas do Humaitá. O último foi um beija-flor, que entrou na minha casa semana passada”, contou o designer.

Na ordem, os dez animais que mais geram ocorrências de resgate pelos bombeiros são: cobras, cachorros, gatos, gambás, aves, macacos, capivaras, jacarés, preguiças e ouriços. De acordo com a Guarda Municipal, o resgate de gaviões e corujas também é frequente.

As operações de resgate devem ocorrer sempre que um animal é encontrado fora de seu habitat, pois pode oferecer risco a uma pessoa ou à sua própria vida. Dependendo do estado de saúde do animal, ele pode ser devolvido imediatamente à natureza ou pode ter que ser levado a um centro de recuperação de animais silvestres.

Em casos de animais silvestres encontrados fora de seu habitat, evite dar as costas ou fazer movimentos bruscos próximo ao animal, pois ele pode se sentir ameaçado e querer atacar. Isole o local onde o animal se encontra e não deixe ninguém entrar. Ligue imediatamente para os bombeiros (193) ou para o 1746.

Por Sophia Portes | Redação ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais)


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

BOA AÇÃO

CHINA

HEROÍNA

FINAL FELIZ

PAUTA EMERGENCIAL

SOLIDARIEDADE

GESTO DE AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>