PM tem arma apreendida após balear cão em Governador Valadares (MG)


Por Sophia Portes | Redação ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais)

O cão da raça pit bull foi baleado por policial militar próximo à orelha esquerda
O animal foi baleado de raspão (Foto: Ana Carolina Magalhães / Arquivo Pessoal)

Um policial militar de 37 anos teve sua arma apreendida nesta segunda-feira (08) após atirar no cão da vizinha, em Governador Valadares, Minas Gerais.

De acordo com a corporação, o cachorro, da raça pit bull, foi baleado de raspão, próximo à orelha esquerda e foi levado para receber atendimento veterinário.

A tutora do animal é uma idosa de 66 anos que é vizinha do PM e ambos apresentaram relatos diferentes sobre o que teria ocorrido.

Segundo a guardiã, ela estava passeando com seus cães quando encontrou o policial, seu vizinho, varrendo a porta da casa dele com a companhia de um cão da raça rottweiler. Ainda de acordo com ela, o homem teria retirado a focinheira do animal e quando ela o questionou sobre o motivo de ter feito isso, ele teria sacado a arma de fogo e disparado duas vezes para o alto e uma vez em direção ao cão da idosa e fugiu logo depois.

Na manhã desta segunda-feira, o policial foi até um posto da Polícia Militar junto a um advogado, e contou uma versão bem diferente.

Conforme o agente, ele estava na porta de casa com seu cão que usava focinheira e guia com enforcador, quando o cão da vizinha teria se aproximado sem equipamento de segurança e tentado atacar o outro cão e foi aí que o rottweiler reagiu. Para separar a briga, o policial teria disparado com a arma de fogo para o alto.

Ainda segundo o PM, ele procurou a vizinha para falar sobre o que havia ocorrido, quando o cão dela, da raça pit bull teria tentado atacá-lo. Para se defender, ele teria disparado contra o animal.

O militar teve a arma de fogo e munições apreendidas pela corporação. O animal ferido passou por exame de Raio-X, onde identificaram a bala alojada em seu organismo. De acordo com o veterinário Saulo Vital, a munição atravessou o pescoço e está alojada em frente a uma das patas dianteiras do cachorro. O animal terá que passar por cirurgia para retirar a bala, onde irão analisar se outro órgãos não foram atingidos.

Raio-X do animal mostra a bala alojada próximo a uma das patas dianteiras
Raio-X mostra a bala alojada no corpo do animal (Foto: Ana Carolina Magalhães / Arquivo Pessoal)

Em entrevista ao G1, testemunhas que não quiseram se identificar, disseram que o policial costuma ameaçar os vizinhos e que estes teriam medo do agente.

A PM afirma que o caso está sendo investigado. O militar e a mulher foram levados para depor na delegacia, mas foram liberados na tarde desta segunda-feira.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

LEALDADE

COMPROMISSO

MAUS-TRATOS

FELICIDADE

TRATAMENTO MÉDICO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>