Após 9 meses em cativeiro, filhote de macaco é entregue a centro em Palmas (TO)


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Macaco apresentou dificuldades para se adaptar à nova dieta | Foto: Ney Carneiro/Naturatins

Em Palmas (TO), um filhote de bugio-preto entregue voluntariamente ao Instituto de Natureza do Tocantins (Naturatins), após ser mantido em cativeiro e ser alimentado com substâncias inadequadas, enfrenta dificuldades para se adaptar a nova dieta.

O animal, que ficou mantido durante nove meses em cativeiro, se alimentava de arroz, pirulito e bolachas, alimentos prejudiciais à sua saúde. O macaco do gênero Alouatta, nas primeiras horas em observação rejeitou as comidas que eram oferecidas a ele, aceitou apenas uma maçã. De acordo com a Naturatins, o animal estava muito assustado por conta da quebra de rotina e mudança de ambiente.

O animal que foi entregue ao Naturatins, foi levado para o Centro de Triagem de Animais Silvestres em Araguaína onde passará por readaptação. A supervisora de Fauna do Instituto, Grasiela Pacheco, disse que o animal correu riscos até porque foi transportado de um estado para o Tocantins, durante a mudança da pessoa que o manteve em cativeiro. O nome não foi informado.

Filhote passou nove meses em cativeiro | Foto: Ney Carneiro/Naturatins

“A pessoa entregou por medo de ser denunciada. Ou seja, ao invés da pessoa pegar o animal na natureza e entregar ao órgão ambiental, que vai saber cuidar dele, com os cuidados sanitários e nutricionais adequados, decisivos ao animal nessa fase da vida, a pessoa ficou com ele e ainda correu um risco enorme ao transportar de um estado para outro, porque acaba de chegar de mudança”, relatou.

O Naturatins reforçou que caso um morador encontre um animal, deve rapidamente entregá-lo ao órgão ambiental. Ressaltou ainda que os macacos não transmitem a febre amarela e os bugios morrem quando contraem o vírus, pois não resistem a doença e assim acabam alertando a população da presença do vírus na região.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROGRESSO

GANÂNCIA

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL

COREIA DO SUL

VEGANISMO

PRESSÃO PÚBLICA

RESILIÊNCIA

RECOMEÇO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>