Corpo de orca é encontrado com número recorde de produtos químicos tóxicos


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: John Bowler/RSPB Scotland

Uma orca encontrada morta em uma ilha escocesa possui um número recorde de produtos químicos tóxicos em seu corpo.

Um postmortem da baleia, conhecida como Lulu, revelou que sua gordura continha 100 vezes mais poluentes policlorados bifenilos (PCBs) do que o que normalmente provocaria problemas de saúde em animais marinhos, segundo informações do Evening Standard.

Lulu foi descoberta em 2016, na ilha escocesa de Tiree, após ter ficado presa em cordas usadas por pescadores.
Porém, agora os cientistas acreditam também que as toxinas podem ter desempenhado um papel em sua morte, enfraquecendo a orca.

Andrew Brownlow, responsável pelo Scottish Marine Animal Stranding Scheme disse à BBC que Lulu tinha “níveis chocantes de PCBs”.

Produtos químicos sintéticos que contêm PCBs têm sido amplamente usados em plásticos para pinturas e equipamentos elétricos desde o século passado e podem ser encontrados também em aterros sanitários.

Infelizmente, os danos provocados pela poluição humana nos oceanos provocam a morte de inúmeros e belos animais como Lulu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PESQUISA

APELO

RECOMEÇO

BARBÁRIE

SEGUNDA CHANCE

INSPIRAÇÃO

DESCARTE IRRESPONSÁVEL

BOA AÇÃO

CHINA

HEROÍNA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>