A emocionante história de Arthur: um cão que após muita luta encontrou seu lar


Por Sophia Portes | Redação ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais)

Foto: Reprodução / ESPN

O Campeonato Mundial de Corrida de Aventura é uma competição conhecida mundialmente. Ma a prova é muito mais um teste de sobrevivência, pois as corridas cobrem centenas de quilômetros em locais inexplorados e com condições extremas.

As equipes participantes devem escalar, esquiar pedalar, caminhar e andar de caiaque em uma prova que pode durar até 10 dias, com 1h ou menos de sono por dia. E, para vencer, o time deve chegar junto na linha de chegada.

Na edição de 2014, o campeonato tinha um percurso extremo de 700 km, com alturas de 4.572 m e passando por 13 diferentes zonas climáticas do Equador. Um dos destaques dessa edição era o Time Peak Performance, da Suécia era formado por Mikael Lindnord, Simon Niemi, Karen Lundgren e Staffan Björklund.

No quarto dia da prova, o time sueco se preparava para mudar a modalidade: de bicicleta para caminhada. Faltava muito pouco para alcançar os líderes, quando algo inesperado aconteceu. Um cão muito ferido e em péssimas condições se aproximou de Lindnord.

Lindnord alimentou o cão (Foto: Reprodução / ESPN)

De repente, a equipe se deu conta de que não estavam mais sozinhos na prova.

Foto: Reprodução / ESPN

Eles decidiram chamar o novo companheiro de Arthur.

Foto: Reprodução / ESPN

“Acho que ele mereceu o nome Arthur. Como um rei”, disse Lindnord.

Foto: Reprodução / ESPN

No quinto dia de prova, todos da equipe estavam cansados, incluindo Arthur. Parecia, que a corrida tinha chegado ao fim para o corajoso cãozinho.

Foto: Reprodução / ESPN

“Então partimos, eu estava olhando para ele e começamos a remar. E então eu ouvi algo como um… splash!”, conta Lindnord.

“Arthur tinha pulado na água. Ele veio nadando atrás de nós”, disse Staffan Björklund, integrante da equipe.

Foto: Reprodução / ESPN

No dia 6, a equipe chegou em 12º entre 54 equipes, juntamente com o novo integrante Arthur.

Foto: Reprodução / ESPN

Mas a história de Arthur não havia acabado por aí.

“Ele sentiu algo com Arthur e não poderia deixá-lo. Ele simplesmente queria ajudar seu amigo”, contou Helena Lindnord, esposa de Mikael.

Mikael percebeu que não poderia deixar seu amigo, mas transportá-lo do Equador para a Suécia não seria algo fácil. Até que os governos de ambos os países tomaram conhecimento sobre o caso e a história de Arthur começou a viralizar.

Com isso, Mikael logo conseguiu autorização para levar Arthur para Suécia. Mas, ao chegar, o cãozinho precisou ser levado para uma clínica veterinária, pois seu estado de saúde era grave.

Foto: Reprodução /ESPN

“Ele tinha feridas enormes nas costas, como se tivesse sido espancado ou algo assim. Se Arthur tivesse ficado no Equador, provavelmente estaria morto agora”, disse Eva Molin, veterinária de Arthur.

Foto: Reprodução /ESPN

Após se recuperar, o cãozinho já estava ansioso para encontrar sua nova família, em Örnsköldsvik, na Suécia.

Foto: Reprodução / ESPN

“Ele é parte da família. É difícil explicar a conexão, mas há algo especial”, conta Helena Lindnord, esposa de Mikael.

Foto: Reprodução / ANDA

“É simplesmente a melhor coisa que já fiz. Ele nunca teria sobrevivido”, afirma Lindnord.

Dois anos após a competição, Arthur está com ótima saúde e vive em um lar repleto de amor e carinho com seu companheiro de aventuras.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SOLIDARIEDADE

NOVOS LARES

RIO CLARO (SP)

EXTINÇÃO

VISIBILIDADE

CANADÁ


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>