Cães idosos: cuidados e atividades necessárias para manter a saúde


Por Sophia Portes / Redação ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais)

Foto: Pet Blog

Assim como humanos, a idade avançada limita certas atividades dos cães, sendo necessária toda atenção do tutor. Dificuldade de locomoção e perda de interesse por caminhadas e brincadeiras são alguns sinais de que seu companheiro está ficando idoso. Mas não se preocupe, pois reunimos aqui algumas dicas para te ajudar a cuidar do seu cãozinho na idade que ele mais precisa.

É importante saber que a terceira idade aparece em momentos diferentes dependendo do cão. Laís Alarça, veterinária especialista da Hercosul Alimentos, explica que a chegada está envolvida com fatores diversos. “As situações podem variar, ou seja, a terceira idade de um cão de grande porte pode começar aos oito ou nove anos, dependendo muito da condição do animal. Já os cães sem raça definida podem ultrapassar os 15 anos”, conta. Outros fatores que variam de acordo com a raça do animal são os sinais de envelhecimento, como por exemplo: problemas respiratórios, dificuldades renais e de locomoção e dores nas articulações.

Mas um sinal que quase todos os cães apresentam é o aumento da sonolência. Eles passam a ficar mais quietos, dormir mais e não percebem muito bem movimentos à sua volta. Quando seu cãozinho apresentar esses fatores com mais frequência, o ideal é levá-lo ao veterinário pois alguns órgãos podem estar funcionando com limitações, o que exige atenção total.

Foto: Folha Vitória

Outro fator importante é manter a casa segura para o animal de acordo com suas limitações que vêm com a idade avançada. Dificuldades de locomoção e dores nas articulações, por exemplo, fazem com que atividades usuais sejam complicadas, como subir no sofá. Caso isto aconteça, uma ideia interessante é colocar degraus para ajudá-lo. Problemas de visão são um fator que exige extrema atenção do tutor, uma vez que escadas e obstáculos devem ser protegidos para que o animal não possa se acidentar.

Outra dica é fazer com que seu amigo de quatro patas pratique exercícios físicos leves frequentemente. A movimentação é ótima para a saúde muscular e evita a fraqueza. Por isso, tente caminhar sempre com seu animal, mas respeitando sua limitações e fazendo pausas para beber água e descansar, se necessário. O tutor deve readaptar a rotina do animal de forma mais leve e mais cuidadosa e sem esquecer das visitas rotineiras a um especialista para garantir a saúde do seu cãozinho.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

BOA AÇÃO

CHINA

HEROÍNA

FINAL FELIZ

PAUTA EMERGENCIAL

SOLIDARIEDADE

GESTO DE AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>