Milhares de cavalos, porcos e burros são covardemente mortos em parque australiano


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Anthony Mann/Parks Australia

Mais de seis mil cavalos selvagens, búfalos, porcos e burros foram mortos no Kakadu National Park, na Austrália, devido ao novo plano de gerenciamento de animais selvagens que foi negociado com proprietários tradicionais.

Os assassinatos, realizados por atiradores de helicópteros durante 24 dias, exterminaram 3.654 cavalos, 1.965 búfalos, 294 porcos e um pequeno número de burros.

Esta foi a primeira matança aérea realizada no parque desde 2009, quando seis animais foram mortos sob pretexto de “manter o número de animais selvagens sob controle”.

O número de animais selvagens no parque subiu para mais de 30 mil nos últimos anos, afirmou o gerente do parque, Pete Cotsell, à reportagem do The Guardian Australia.

Ocorreu um aumento de 12 mil cavalos e 15 mil búfalos, o que representa uma taxa de 25% ao ano.
Ambas as espécies foram introduzidas no Território do Norte no século 19.

Após 2009, os assassinatos foram interrompidos em resposta à oposição dos proprietários tradicionais que controlam o parque nacional juntamente com o governo australiano.

Cotsell revelou que o novo programa de mortes foi negociado com proprietários tradicionais como parte de um plano que incluirá exportações de animais selvagens vivos e venda dos animais para a indústria da carne.

O tiroteio do helicóptero foi realizado em áreas inacessíveis do parque e em áreas de maior preocupação ambiental.
O helicóptero fez três passagens: uma para contar os animais e verificar os riscos de segurança, uma para atirar e uma última para verificar se nenhum animal havia ficado gravemente ferido e ainda vivo.

Inacreditavelmente, o tiroteio aéreo é usado para matar rebanhos de camelos selvagens na Austrália central e cavalos ferozes nos Alpes vitorianos.

Em 2016, cientistas promoveram a morte de mais de cinco mil cavalos brumbies nas montanhas nevadas, que representavam 90% dos cavalos selvagens do Kosciuszko National Park. Isso resultou em protestos realizados por ativistas pelos direitos animais e pelo público.

A covardia do tiroteio aéreo foi proibida em Nova Gales do Sul por mais de uma década após um protesto público depois que um tiroteio matou mais de 600 cavalos no parque nacional Guy Fawkes River em 2000. Infelizmente, isso ainda ocorre em Queensland, na Austrália ocidental e no Território do Norte.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

SEGUNDA CHANCE

CENSURA

DESPERTAR

PROTEÇÃO

HOLOCAUSTO

INSPIRAÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>