Veterinário explica sobre exercícios para os cães


Pedro Henrique ao lado do seu cãozinho, Romeu (Foto: Pedro Henrique Andrade Silva/Arquivo pessoal)

Praticar exercícios físicos com os cãezinhos, além de ser prazeroso para os tutores, também é bom para o bem-estar animal. Mas, segundo o veterinário Emircio Araújo Quintão, apesar das atividades serem sempre bem-vindas para todas as raças, é preciso ter cuidado com o tipo de esporte praticado, horário e com o local do passeio.

O assistente financeiro Pedro Henrique Andrade Silva está sempre atento a estes cuidados de saúde com o Romeu, um cãozinho da raça pug, na hora de fazer atividades físicas. Temendo a obesidade, comum para esta raça, o tutor do cachorrinho procura os melhores horários para as caminhadas diárias.

“Trabalho de turno, então nunca faço a caminhada com o Romeu somente em um horário. Saio com ele na manhã bem cedo, para evitar que ele queime as patinhas, e durante a noite. Sempre me preocupo em caminhar conforme a disposição dele e levo uma garrafinha de água”, contou.

Romeu faz caminhadas diárias com seu tutor (Foto: Pedro Henrique Andrade Silva/Arquivo pessoal)

Pedro, que já está com Romeu há seis meses, conhece as necessidades do animalzinho. Durante as caminhadas, quando ele apresenta sinais de cansaço, o rapaz já sabe o que fazer para aliviar.

“Durante os passeios que eu vejo que o Romeu desenrolou o rabo e começou a olhar demais para mim é um sinal que ele está cansado. Dai eu pego ele, coloco no colo ou no ombro e dou um tempo para ele descansar. Quando fica tudo bem eu coloco ele para andar novamente, tudo dentro do tempo dele”, concluiu.

O veterinário Emircio Araújo aprova os cuidados do Pedro e alerta os demais tutores para outras precauções durante as atividades. “O animal deve estar sempre muito bem hidratado. Observar também a alimentação dos cães, eles não podem comer muito antes de sair para se exercitar. Outra dica importante é o animal sempre receber acompanhamento de um especialista para ver como está a saúde”, finalizou.

Emircio faz um alerta especial para os cães com problemas respiratórios, que devem ter cuidado especial. “A respiração não determina se o cão pode ou não fazer exercícios. Tem raça mais predisposta a problemas respiratórios com o buldogue inglês, o buldogue francês, pug e os casos de cachorros grandes, como o São Bernardo. Nesses casos é observar o animal de forma individual e tomar as providencias necessárias em cada caso”, declarou o profissional.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRUELDADE

TECNOLOGIA

DESUMANIDADE

ACOLHIMENTO

EFICIÊNCIA

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>