Um dos últimos elefantes de presas gigantes é morto no Quênia


Por Janaína Fernandes | Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

DR

Vítima de mais um episódio de crueldade humana, um elefante chamando Satao II, foi encontrado morto em um parque nacional em Tsavo, na Quênia.

O animal que levava o mesmo nome de um elefante que foi morto em 2014, era um dos poucos 25 elefantes restantes com ‘’presas gigantes’’ em todo o mundo. De acordo com Richard Moller, da Agência France Presse, 15 desses animais estão em Quênia.

Cobiçados por suas presas de marfim, a morte do animal foi causada por uma seta envenenada e, segundo Richard, os criminosos não conseguiram pegar o corpo: “Felizmente, graças ao trabalho que realizamos em colaboração com o serviço queniano da fauna selvagem (KWS), encontramos o cadáver antes dos caçadores conseguirem retirar o marfim”, afirma.

Satao II, de 50 anos, tinha as presas tão pesadas, cerca de 50 quilogramas cada, que quase tocavam o chão. De acordo com Moller, o animal tinha sobrevivido a outros períodos de caça: “Tinha sobrevivido a várias secas e provavelmente a outras tentativas de caça”, lamenta.

A União Internacional para a Conservação da Natureza, o continente que possuía cerca de 415.000 elefantes, hoje conta com apenas 111.000. A maior queda em 25 anos. Os assassinatos ocorrem em um ritmo de cerca de 30.000 elefantes por ano.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRIME AMBIENTAL

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE

RESILIÊNCIA

BRECHAS LEGAIS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>