CONTEÚDO ANDA

Rinoceronte luta para sobreviver depois de ser baleado e ter chifre arrancado por caçadores

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Saving the Survivors

Quando a equipe de resgate chegou, um rinoceronte já havia morrido e o outro estava tão ferido que acreditavam que provavelmente ele também não sobreviveria.

Vrystaat e Impi, dois rinocerontes machos de dois anos, moravam em uma “fazenda” sul-africana (um termo usado para uma reserva de caça privada) perto da fronteira com Botswana.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

A fazenda tinha segurança contra a caça e Vrystaat e Impi viviam bem ao lado da casa do proprietário do local. Mas quando o proprietário se ausentou uma noite, caçadores encontraram uma maneira de penetrar na área.

“Eles estavam esperando ou eram apenas oportunistas”, disse Zoe Glyphis, um veterinário da Saving the Survivors, uma organização que fornece cuidados veterinários de emergência para vítimas da caça de rinocerontes.

Os caçadores atiraram em Vrystaat – uma vez no ombro e também nos olhos. Então cortaram o pequeno chifre dianteiro de Vrystaat, para vendê-lo por uma grande quantidade de dinheiro.

Depois, dispararam no abdômen de Impi, quebrando a articulação de seu quadril, mas não arrancaram seus chifres.

Foto: Saving the Survivors

“Acreditamos que atiraram em Impi porque ele tentou proteger Vrystaat”, disse Glyphis.

Impi morreu de peritonite grave, uma inflamação do tecido que reveste o abdômen e órgãos abdominais, de acordo com Glyphis. No entanto, Vrystaat milagrosamente sobreviveu.

Quando o proprietário da fazenda retornou na manhã seguinte e encontrou os rinocerontes, ele imediatamente contatou a Saving the Survivors, pedindo ajuda. Uma equipe que incluía Glyphis chegou o mais rápido possível ao local.

“Na chegada à fazenda, fomos recebidos com o corpo sem vida do pequeno Impi. É a visão mais dolorosa e desoladora observar esses animais e a que eles estão sujeitos”, relatou Glyphis.

Foto: Saving the Survivors

A equipe começou a tratar Vrystaat imediatamente. Infelizmente, esses tipos de ataques são muito comuns, especialmente na África do Sul, que tem a maior população de rinocerontes do mundo. No ano passado, cerca de 1.100 rinocerontes foram mortos por seus chifres na região e 129 rinocerontes já morreram neste ano.

Os caçadores começaram até mesmo a visar orfanatos de rinocerontes –que abrigam os bebês sobreviventes de mães rinocerontes assassinadas. Recentemente, dois homens armados invadiram o Orfanato Thula Thula Rhino e mataram dois rinocerontes, Gugu e Impy, apesar de terem menos de 18 meses de idade.

“Tragicamente, a caça ocorre de maneira desenfreada em toda a África do Sul. Há muito poucos lugares que são seguros”, destaca Glyphis. Nenhuma prisão foi feita devido ao ataque contra Impi e Vrystaat.

Foto: Saving the Survivors

Vrystaat não está fora da floresta ainda e tem um longo caminho para a recuperação, segundo Glyphis. Serão necessárias limpezas constantes na ferida, bandagens específicas e doses de anti-inflamatórios e antibióticos ao longo de um período de 18 meses.

Não é surpreendente que Vrystaat não confie mais nas pessoas. “Ele era um filhote acostumado a estar ao redor de pessoas e se tornou completamente desconfiado dos seres humanos”, disse Glyphis.

No entanto, Glyphis permanece esperançoso com relação à recuperação de Vrystaat.

“Nos últimos anos, vimos uma série de casos de rinocerontes – negros e brancos – que foram atacados desta forma e eles se dão muito bem com o tratamento correto”, afirmou ao The Dodo.

“Acho que todos os rinocerontes que tratamos nos surpreendem com sua resistência e vontade de viver. Nós definitivamente podemos atribuir a sua taxa de cura [de Vrystaat] a todo o conhecimento que ganhamos ao tratar outros rinocerontes”, completou.

O tratamento de Vrystaat custa milhares de dólares e há sempre mais rinocerontes para ajudar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui