Escolas da Califórnia adotam cardápio vegano para combater aquecimento global


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Science Illustrated

As escolas de Oakland, na Califórnia (EUA), fizeram uma parceria com o grupo ambiental Friends of the Earth (FOE) para combater o aquecimento global para que os almoços dos alunos não contribuam para agravar o problema.

O FOE forneceu às crianças um menu de almoço feito para eliminar os alimentos “insustentáveis para o nosso planeta.” O novo menu apresenta mais alimentos à base de vegetais. O cardápio que apresentava cachorros-quentes de carne e pizza de pepperoni passou a mostrar opções veganas com tofu, com o objetivo de não incentivar o consumo de carne e laticínios.

“Este é um momento marcante para a alimentação escolar”, disse Jennifer LeBarre, chefe de serviços de nutrição do Distrito Escolar Unificado de Oakland, em comunicado à imprensa da FOE.

“Estávamos tão empolgados em ver como os dados mostraram que poderíamos reduzir nossa pegada de carbono e água servindo comida saudável e deliciosa – como as tostadas vegetarianas com salsa caseira fresca, que as crianças adoram, tudo ao mesmo tempo em que economizam dinheiro”, adicionou.

O distrito e o FOE alegaram que o programa de almoço era mais saudável do que antes. Segundo o grupo, as emissões totais do dióxido de carbono (CO2) do programa do diminuíram 14%. A mudança total é equivalente a retirar cerca de 127 carros da estrada por um ano, de acordo com a calculadora oficial da Agência de Proteção Ambiental (EPA). Os ativistas também afirmam que os custos do programa de almoço caíram 1%.

O FOE disse que fez uma parceria com a escola para fornecer um “roteiro para a mudança” e incentivar outras escolas a lutar contra o aquecimento global por meio dos almoços dos estudantes. O grupo espera que o exemplo de Oakland incentive vários outros distritos escolares a adotarem um menu semelhante.

Se cada distrito escolar nos Estados Unidos fizesse o mesmo que Oakland, a redução de emissões de CO2 seria equivalente a remover 150 mil carros das estradas, de acordo com o FOE.

“Embora nosso estudo se concentre na alimentação escolar, é claro que a redução de carnes e queijos é uma poderosa estratégia de mitigação do clima para todos os restaurantes e instituições que querem reduzir seu impacto ambiental “, disse Kari Hamerschlag, vice-diretor de alimentos e tecnologia do FOE, em uma declaração.

“Esperamos que este relatório inspire mais instituições públicas a servir mais alimentos à base de vegetais como uma forma econômica de alcançar objetivos ambientais e de saúde pública”, concluiu, segundo o Daily Caller.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

NEGLIGÊNCIA

SOFRIMENTO

PORTO ALEGRE (RS)

INSENSIBILIDADE

GOIÂNIA (GO)

MÉXICO

ACIDENTE

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>