Feiras de venda de bois e vacas tornam-se centros do tráfico de animais na Índia


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Reprodução, India Today

Em uma feira de bois e vacas realizada em Nagaur (Índia), 27 pessoas foram presas e 200 camelos, que seriam contrabandeados para fora do estado, foram resgatados.

Neste mês, 18 pessoas de Uttar Pradesh, oito de Bharatpur e uma de Alwar foram acusadas por infringir a Lei de Prevenção da Crueldade contra Animais de 1960 por tentarem contrabandear 200 camelos de Rajasthan para serem mortos.

Ativistas pelos direitos animais e a organização de proteção animal Gau Gyan Foundation fizeram repetidos apelos para que as autoridades tomassem medidas contra este comércio horrível.

“Fomos informados sobre os camelos na Feira de Vacas de Nagaur. Porém, quando chegamos lá, os criminosos tinham deixado os camelos fugirem. Nós os trouxemos de volta. Em cada caminhão, havia entre 25 e 30 camelos amontoados. Eles foram presos sob a Lei de Prevenção de Crueldade contra Animais, de 1960. Sete a oito pessoas tinham antecedentes criminais anteriores para a mesma ofensa”, disse Paris Deshmukh.

Segundo ela, mais tarde, os criminosos foram liberados após pagarem fiança. A Lei de Camelos de Rajasthan, que supostamente deveria proteger os animais, provou ser altamente ineficaz, já que centenas de camelos são contrabandeados mensalmente para fora de Rajasthan para serem assassinados.

Há vários casos nos quais os camelos foram contrabandeados para fora da região e, na maioria deles, eles foram encontrados perto de Bangladesh.

Nenhuma ação é adotada mesmo com contínuos casos de tráfico

“Apesar de repetidos casos de tráfico de camelos, ainda não há nenhuma ação holística sendo adotada pelas autoridades do Rajasthan para acabar com este comércio desenfreado, que é um crime organizado a partir de feiras e terminam na fronteira de Bangladesh”, disse o ativista Naresh Kadyan, que passou mais de duas décadas lutando pelos direitos animais, particularmente de camelos.

“Estes camelos são vendidos durante as feiras de bois e vacas em Rajasthan, em grande parte para as pessoas que vêm de Baghpat. O tráfico descontrolado de camelos provocou um enorme declínio em sua população e o governo está financiando a criação de camelos. É um problema sério que exige ação e vigilância rigorosas”, afirmou Radhika Bose da ONG People for Animals.

Nikita Anand, voluntária na organização de proteção animal Dhyan Foundation, que trabalha para a reabilitação e proteção de animais resgatados, completa: “Igualmente horrível é a forma como esses camelos são transportados. Facas afiadas e lâminas anexadas às extremidades de varas de bambu são usadas para colocá-los forçosamente em caminhões. Suas pernas são amarradas e empurradas em cima umas das outras. A viagem de Rajasthan para qualquer desses lugares leva cerca de 40 horas no caminhão sem comida e água”.

Malda & Islampur em Bengal ocidental, Kotputli em Rajasthan, Gurgaon em Haryana e Kishanganj em Bihar são os principais centros de tráfico dos camelos, segundo o India Today.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DADOS ALARMANTES

MAUS-TRATOS

DESMONTE AMBIENTAL

ZOOFILIA

RÚSSIA

FINAL FELIZ

CRUELDADE

CRISE ECONÔMICA

SINERGIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>