Cachorros refletem a personalidade de seus tutores


cachorros refletem a personalidade do dono
Características como ansiedade e negatividade podem ser ‘herdadas’ pelos animais | Foto: Divulgação / Super interessante

Tal tutor, tal cão. Essa crença de que o cachorro tem a mesma personalidade de quem o cria acaba de ganhar um suporte científico. Se o seu animalzinho é brincalhão, nervoso ou agitado, saiba que isso pode estar relacionado com o seu jeito de ser.

Um estudo, realizado por pesquisadores da Universidade de Viena, descobriu que os cachorros podem “herdar” algumas características de seus tutores. Animais que vivem com pessoas neuróticas, por exemplo, têm menos capacidade de lidar com o estresse. Já os que são adotados por donos “zen”, tendem a ser mais relaxados e até mais amigáveis.

Mais de cento e trinta cachorros – e seus respectivos guardiões – participaram de um experimento com vários testes, incluindo a medição da frequência cardíaca e a resposta que os animais têm diante de ameaças (como a aproximação de um estranho mascarado ou atravessar uma ponte que balança). Amostras de saliva também foram analisadas para medir o nível de cortisol – um marcador de estresse.

Os tutores foram avaliados de acordo com cinco traços de personalidade: neuroticismo (tendências a emoções negativas, como raiva, ansiedade ou depressão), extroversão (grau de sociabilidade), abertura à novas experiências, agradabilidade e conscienciosidade (de consciência e ética). A personalidade dos cães foi analisada por meio de um questionário.

Com os dados coletados, um cruzamento de informações mostrou que, de fato, humanos e caninos interferem no humor uns dos outros, mas que a influência humana é mais marcante. “Os animais são sensíveis aos estados emocionais de seus companheiros humanos”, explicou a pesquisadora Iris Schoberl à BBC. Segundo ela, os cachorros ajustam seu comportamento em função dos sentimentos que captam de seus tutores.

Com a capacidade de ler as emoções, os cães de pessoas negativas pensam que o mundo é mais perigo e têm menos variação nos níveis de cortisol – sinal de que eles são ansiosos e não conseguem lidar com situações estressantes. Lamber os lábios do guardião, bocejar ou se afastar de objetos ameaçadores são os principais sintomas.

Já os que têm proprietários mais calmos, apresentam maiores alterações no cortisol, são mais resilientes e conseguem se adaptar bem a diferentes situações – podem, inclusive, transmitir tranquilidade para os seus tutores.

“As pessoas esquecem que os animais nos observam e nos estudam para aprender a se comportar, principalmente em ambientes novos”, explicou Carolyn Menteith, especialista em comportamento de cachorros, ao Daily Mail. “Quanto mais confiança demonstramos, mais segurança passamos ao cãozinho”, pontuou.

A pesquisa foi publicada em janeiro no jornal Plos One.

Fonte: Super interessante


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AGRESSÃO BRUTAL

INDÚSTRIA CRUEL

ECONOMIA

AMEAÇA DE EXTINÇÃO

ACIDENTE

CRUELDADE

TECNOLOGIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>