CONTEÚDO ANDA

Investigação inédita revela que cordeiros são repetidamente eletrocutados em matadouro

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Reprodução/Compassion Over Killing

Em uma nova investigação, a organização de direitos animais Compassion Over Killing mostra os terríveis bastidores de um matadouro de cordeiros dos EUA.

O filme revela a extrema crueldade contra os animais Superior Farms – a maior produtora de carne de cordeiros dos Estados Unidos e fornecedora dos dois maiores mercados do país, o Walmart e o Kroger.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

As imagens foram capturadas por um investigador infiltrado da organização que trabalhou no maior matadouro de cordeiros do país localizado em Dixon, na Califórnia.

O vídeo gráfico expõe a morte violenta e sangrenta que esses jovens e gentis animais são forçados a suportar.

Foto: Reprodução/Compassion Over Killing

Enquanto a Superior Farms diz que sua carne é “obtida humanamente” e usa um selo de certificação em alguns de seus produtos, o vídeo secreto da COK mostra atordoamentos ineficazes, que fazem com que alguns animais experimentem o choque elétrico mais de uma vez.

Mesmo depois de terem suas gargantas cortadas (vários animais são obrigados a enfrentar essa prática diversas vezes), muitos cordeiros ficam se debatendo ou batendo suas cabeças – sinais de que ainda podem sentir dor – conforme seus rabos são arrancados.

As cenas perturbadoras também mostram cordeiros recebendo descargas elétricas repetidamente, um cão obrigado a morder esses animais assustados para forçá-los a se mover, trabalhadores agarrando e arrancando a lã dos animais e um cordeiro muito pequeno e confinado em uma lixeira.

“Existem muitos exemplos de animais que parecem ainda sentir sensações de dor após o atordoamento e o corte da garganta”, declarou a veterinária Holly Cheever.

Depois estes cordeiros são assassinados, sua pele e lã são roubadas para serem vendidas às empresas que irão transformá-las em capas de assento de carro e botas de grife como a UGGs.

Outras partes destes bebês animais – seus rabos, orelhas,traqueias e pulmões – são vendidas como petiscos para cães, informou a organização.

Após a divulgação das práticas brutais, ativistas fizeram uma petição para protestar contra o matadouro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui