CONTEÚDO ANDA

Cãozinho especial encontra cadela cega que o compreende perfeitamente

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto; Instagram/cleftkidfrekiandfamily

Nada na vida de Freki foi planejado. Nem mesmo a ninhada em que ele nasceu – o resultado de uma gravidez acidental de uma cadela que Tracy Di Bartolo encontrou na Virgínia (EUA) e levou para casa.

E, certamente, não o modo estranho como Freki chegou ao mundo. “Ele espirrou quando saiu”, disse Di Bartolo. Então ela viu algo mais que ninguém esperava. “Olhei para o seu rosto e ele não parecia o mesmo que os outros”, lembra.

Freki nasceu com fenda palatina, uma condição que deixa uma abertura entre as passagens nasais e a boca. No caso de cães, ela se desenvolve enquanto eles ainda estão no ventre da mãe. Isso deixa frequentemente um cão com problemas sérios para se alimentar e beber.

“A principal preocupação com a fenda palatina é a pneumonia aspirativa, ou seja, quando os filhotes mamam ou começam a ingerir alimentos sólidos e água, eles podem ir para os pulmões em vez de para baixo do esôfago. Isso causa uma infecção terrível e sem tratamento que é geralmente fatal e estes filhotes não vivem muito”, disse Karri McCreary.

Foto:Instagram/cleftkidfrekiandfamily

Enquanto a fenda palatina de Freki não era tão grave como alguns casos, provavelmente ele teria uma vida curta. Filhotes com esse problema, que não podem se alimentar por conta própria, compreensivelmente não sobrevivem por muito tempo quando são desabrigados. Em abrigos, eles não têm condições muito melhores, já que a reparação na fissura dos palatos costuma ser cara.

“Muitos veterinários só iriam provocar a morte induzida”, explicou Di Bartolo. Além disso, quem quer um cão com um sorriso torto?
Bem, com certeza, Di Bartolo e a irmã de Freki, Freya. Nascida cega, Freya não se importava com o aspecto do irmão. Ela só conhecia o seu calor familiar.

“Ele a ama muito. Eles se dão bem, se acariciam e limpam os ouvidos um do outro”, contou a tutora.

Di Bartolo, que vive em Mechanicsville, na Virgínia, decidiu manter Freya, Freki e um irmão chamado Einar, bem como sua mãe.
Mas Freki precisava de um pouco mais do que ter as orelhas limpas por sua irmã para prosperar.

“Ele estava em uma cesta de lavanderia com uma almofada de aquecimento. Ele é alimentado com mamadeira a cada duas ou três horas”, explicou.

Foto:Instagram/cleftkidfrekiandfamily

Em breve, Freki deixaria de ingerir alimentos líquidos para comer massa magra e logo ele alcançaria o tamanho de seus irmãos.
“Ele é realmente mais alto do que seu irmão agora. Seu peito ficou largo, sua cabeça ainda é pequena, o restante de seu corpo está começando a crescer”, acrescentou Di Bartolo ao The Dodo.

Com a ajuda de uma campanha online para arrecadar dinheiro, Freki iria superar a condição com que nasceu. Pessoas de todo o mundo, muitas delas estranhas, contribuíram para que seu palato fosse reparado cirurgicamente.

Foto:Instagram/cleftkidfrekiandfamily

Freki sofreu a operação em novembro, saiu do hospital com ambos os lados do seu paladar fundidos juntos – um procedimento interno que garantiu que ele poderia comer e beber completamente sozinho.

Há, entretanto, outras questões – que não ameaçam exatamente sua vida, mas o sono. Pelo menos daqueles que vivem ao seu redor.
“Ele ronca ainda mais agora. Parece um homem adulto na sala”, afirmou Di Bartolo.

Porém, o cirurgião deixou Freki com seu sorriso de marca registrada. Embora não o incomode de forma alguma, este é um lembrete saudável de que algo que não ocorre de acordo com nossos planos pode ser perfeito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui