Dispositivos de rastreamento transformam animais em presas fáceis de caçadores


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/Vancouver Sun

Dispositivos eletrônicos de rastreamento de animais selvagens que se destinam a ajudar os cientistas a realizar estudos de conservação estão atraindo a atenção de caçadores.

De Banff à Índia, caçadores têm feito o download de dados de estudos de conservação – e até mesmo hackeando laboratórios de ciências – para facilitar a captura dos animais.

Os caçadores recorrem a tribunais e alguns podem usar seus próprios dispositivos de rastreamento, depois de obter a tecnologia de pesquisadores.

Na Carleton University, o cientista especializado em peixes Steven Cooke está preocupado com os dados coletados de transmissores eletrônicos que mostram em que parte do rio Rideau os muskies vivem. Ele sabe que as pessoas capturam muskies e não quer fornecer um mapa preciso dos principais pontos de pesca.

Seu estudo, chamado “Questões problemáticas na fronteira do rastreamento de animais para conservação e gestão”, foi publicado em uma revista chamada Conservation Biology. Os outros autores são das Universidades de Ottawa, British Columbia, Windsor, e do Great Lakes Environmental Research Laboratory.

“O rastreamento de animais pode revelar locais de animais (por vezes em tempo quase real), e estes dados ajudam as pessoas a localizar, perturbar, capturar, danificar ou matar os animais rastreados”, escreveu o grupo.

Em Minnesota, pescadores pediram a um tribunal para ter acesso a dados de movimento de transmissores, argumentando que os dados devem ser publicamente disponíveis, porque foram financiados com o dinheiro público.

“Apesar de suas tentativas falharem, o caso destaca as percepções entre algumas partes interessadas sobre seu direito a dados”, revelaram os autores.

Em outro caso, tubarões foram rastreados na Austrália, para alertar quando eles estavam perto de praias, mas os dados acabaram sendo usados em uma matança dos animais.

Os identificadores e seus dados “também contribuem para o conflito entre humanos e animais selvagens e a potencial morte de um animal. Depois que fotógrafos usaram a telemetria para rastrear animais marcados por pesquisadores e gerentes, o Parks Canada implementou uma proibição pública de receptores de rádio VHF no Parque Nacional de Banff.

“A telemetria não foi apenas inventada ontem, mas tornou-se mais difundida. Qualquer um que sabe um pouco sobre a tecnologia pode ordenar e usar este equipamento”, ressaltaram os estudiosos.

Segundo o Vancouver Sun, Cooke tem chamado a atenção de governos, fabricantes de dispositivos de rastreamento e cientistas para explorar o problema.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PESQUISA

APELO

RECOMEÇO

BARBÁRIE

SEGUNDA CHANCE

INSPIRAÇÃO

DESCARTE IRRESPONSÁVEL

BOA AÇÃO

CHINA

HEROÍNA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>