Especialista em comportamento animal analisa vídeo de “Quatro vidas de um cachorro”


Foto: Reprodução

O vídeo feito durante as gravações do filme “Quatro vidas de um cachorro” (ou, em inglês, a Dog’s Purpose) gerou revolta por mostrar um cachorro da raça Pastor Alemão sendo forçado a entrar uma piscina com águas turbulentas para uma das cenas. A filmagem, divulgada na última semana, recebeu as críticas do público e de entidades ligadas à defesa dos animais, que pediram o boicote ao filme.

O que faltou naquele momento, de acordo com informações de Renato Zanetti, especialista em comportamento e bem-estar animal, foi sensibilidade do cuidador e pesquisa ao lidar com o animal. O cão, segundo ele, emite claros sinais comportamentais de desconforto com a situação, conforme o especialista verificou no vídeo divulgado pelo site norte-americano TMZ.

O cão, com medo da situação, evita ficar no local, coloca o rabo no meio das pernas, as orelhas estão para trás e tenta fugir daquele local. “De forma clara, o suposto adestrador usa a força física para fazer com que o cão entre na água, mesmo quando o animal tenta voltar para uma área de segurança”, explica.

O que pode acontecer ao cachorro?

Quando submetido a uma situação de estresse, o cão pode ter quatro respostas, conforme explica o especialista:

– Trauma permanente. Ele ficará com medo de situações semelhantes;

– Insegurança momentânea. O cão ficará inseguro com as pessoas nas quais ele deveria confiar, como adestradores e tratadores;

– Desconfiança eventual. Em situações semelhantes, com luz, pessoas, barulho, ele pode ter a mesma reação;

– Nada. Pode ser que não aconteça nada ao cão no futuro, mas o simples medo daquela situação é maléfico ao bem-estar do animal.

“Provavelmente, o que aconteceu foi a falta de tempo para treinar o cão com essas características para atuar no filme, falta de interesse em conhecer sobre comportamento animal para saber como agir em situações assim e, com certeza, falta de sensibilidade”, explica.

Fonte: Gazeta do Povo

Nota da Redação: No vídeo fica muito claro que o animal foi forçado a uma situação que o deixa amedrontado. Este é um exemplo de como animais são submetidos à força a situações anti-naturais e sofrem todos os dias, não só na indústria cinematográfica, mas em qualquer outra atividade que os explora para entretenimento. É vergonhoso que um animal seja forçado a situações que lhe causem pavor para alimentar a ganância de seres humanos. 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA

JAPÃO

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO SONORA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>